Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

O Núcleo de Operações em Inteligência (NOI) da Polícia Civil do Amapá efetuou a prisão de um foragido da Justiça do Rio Grande do Norte, que morava em Macapá desde 2008, usando documentação falsa.

Francisco Elias Andrade Rocha, de 36 anos, foi encontrado pelos policiais por volta das 20h de sexta-feira, 10, vendendo churrasquinho em frente a um estabelecimento comercial no Bairro Jardim Felicidade, zona norte da cidade.

Francisco Elias foi preso na noite de sexta-feira, 10, na zona norte de Macapá. Fotos: Olho de Boto

Francisco Elias foi preso na noite de sexta-feira, 10, na zona norte de Macapá. Fotos: Olho de Boto

Ele é acusado pelo crime de latrocínio e diversas outras ações como roubo e furto, infrações praticadas em Mossoró, município no interior do estado nordestino, na região oeste.

A Polícia Civil chegou até o paradeiro do potiguar por meio de denúncia anônima realizada. A inteligência policial descobriu que o homem usava uma série de documentos falsos, como carteira de identidade, de trabalho e certidão de nascimento. Francisco usava o nome falso na documentação de Manoel de Oliveira Brito e mudou até mesmo a sua idade para 44 anos.

Homem conseguiu emitir uma série de documentos falsos, mudando de nome e até de idade

Homem conseguiu emitir uma série de documentos falsos, mudando de nome e até de idade

Sem ter chegado a formar família no estado, ele morava só, em um pequeno quarto localizado também no Jardim Felicidade 1, próximo de onde vendia o churrasquinho.

“Tomamos ciência de que ele tinha tirado documentação falsa aqui, carteira de identidade,carteira de trabalho, título de eleitor, mas nós conseguimos a verdadeira identidade dele, comparamos as fotografias, e observamos que ele era procurado”, explicou o delegado Alan Moutinho, do NOI da Polícia Civil.

Identidade original de Francisco

Identidade original de Francisco

De acordo com o delegado, Francisco Rocha é acusado de praticar latrocínio junto com um irmão, que faleceu em confronto com outros infratores.

Sobre a origem dos documentos falsos, o policial diz que haverá nova investigação sobre o fato.

Origem do documento falso será investigada pela Polícia Civil

Origem do documento falso será investigada pela Polícia Civil

“Demandará uma nova investigação porque não se sabe em que circunstâncias essa pessoa conseguiu tirar esses documentos, uma nova identidade, uma certidão de nascimento, nós vamos checar junto a Politec, junto ao cartório, saber a origem desse documento falso”, comentou.

Delegado Alan Moutinho:

Delegado Alan Moutinho (esquerda): denúncia anônima ajudou no trabalho da inteligência

O mandado de prisão de Francisco Elias foi expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Mossoró, após o trabalho do NOI. Ele foi recolhido ao Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) e pode responder também pela falsificação dos documentos, segundo o delegado Alan Moutinho. No Iapen, Francisco Elias aguardará até que a Justiça do Rio Grande do Norte faça sua transferência para o estado.

Mandado de prisão

Mandado de prisão

Compartilhamentos