Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Uma comitiva do Amapá pediu oficialmente ao governo do Reino Unido que interfira na crise gerada por duas mineradoras britânicas que operavam no Estado, a Zamin e a Anglo Ferrous. Foi durante audiência em Brasília na última quarta-feira, 22, na Embaixada do Reino Unido.

A comitiva era formada pelos senadores Randolfe Rodrigues (REDEP) e Davi Alcolumbre (DEM-AP); prefeito de Serra do Navio, Elson Belo,  o procurador-geral de Justiça do Amapá, Roberto Álvares, a coordenadora do Meio Ambiente do Ministério Público do Amapá, Ivana Cei, os promotores Marcelo Moreira, Adilson Garcia e Weber Penafort, e o representante da OAB/ AP, Galliano Cei.

O encontro foi com embaixador do Reino Unido, Wasim Mir. A comitiva deixou claro que as duas mineradoras abriram uma crise sem precedentes no setor, gerando falências de empresas e endividamento de trabalhadores.  

A Zamin sucedeu a Anglo Ferrous em abril de 2014, e logo no início da operação ocorreu o desabamento do porto de minério no município de Santana matando operários.

Delegação do Amapá que tratou do assunto em frente à embaixada. Foto: divulgação

Delegação do Amapá que tratou do assunto em frente à embaixada. Foto: divulgação

Depois do acidente, a Zamin suspendeu suas atividades alegando que não havia mais onde estoque o minério de ferro. Mais de dois mil trabalhadores foram demitidos e várias empresas quebraram, acumulando milhões de reais em dívidas. Isso sem falar do sucateamento da Estrada de Ferro do Amapá.

O embaixador afirmou ter entendido a gravidade do assunto, ressaltando o quanto a situação “é difícil para o Amapá”.

Wasmim Mir se comprometeu em entrar em contato com os representantes das empresas britânicas e com o representante da sede do escritório de relações exteriores (o “Itamaraty britânico”) para buscar soluções.

Compartilhamentos