Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

O acusado de matar um homem que agredia a ex-esposa esta semana no Bairro Novo Horizonte, na zona norte de Macapá, se apresentou nesta quarta-feira, 15, na Delegacia Especializada em Crimes Contra a Pessoa (Decipe). Ele prestou depoimento e foi liberado para responder ao inquérito em liberdade.

Márcio Luiz Silva de Azevedo, de 40 anos, é pedreiro, e informou ao delegado Ronaldo Coelho, que preside o inquérito, que estava se mudando junto com a família para a vila de quitinetes no último dia 12 (domingo) viu uma mulher sendo agredida por um homem com um pedaço de madeira na casa ao lado.

Ele admitiu que entrou em luta corporal com o homem para defender a vítima, e acrescentou que também temia pela vida da própria esposa que estava conversando com a ex-sogra do agressor no momento da confusão. A ex-sogra também seria agredida. Ainda segundo depoimento dele, o homem estava com uma faca e aparentava estar drogado ou sob efeito de álcool.

O homem era Luan Espíndola Maciel, de 21 anos, que já tinha passagens por tráfico, porte de drogas e desacato. Ele recebeu uma facada e ainda correu alguns metros. No entanto, caiu e morreu ainda no local. Márcio Azevedo fugiu do local.

Pedreiro presta depoimento ao delegado Ronaldo Coelho, afirmando que temia pela vítima que estava apanhando e pela vida da própria esposa. Fotos: Olho de Boto

Pedreiro presta depoimento ao delegado Ronaldo Coelho, afirmando que temia pela vítima que estava apanhando e pela vida da própria esposa. Fotos: Olho de Boto

“Tudo começou com o homem (Luan Maciel) agredindo sua ex-companheira com um pedaço de pernamanca. Ele (pedreiro) estava se mudando, e nem conhecia aquelas pessoas. Ele decidiu fazer a defesa dela contra o Luan, e o atingiu com a faca que estaria com o Luan”, relatou o delegado.

“É um homem trabalhador e diz que está arrependido, mas afirmou que estava em risco a família que estava sendo agredida e a dele também. Porém, vamos confirmar tudo com o depoimento das testemunhas”, acrescentou.

Corpo de Luan Maciel é removido por uma equipe da Politec na noite de domingo, 12

Corpo de Luan Maciel é removido por uma equipe da Politec na noite de domingo, 12

O pedreiro informou que ainda tentou se apresentar no Ciosp no mesmo dia, mas viu que na delegacia havia muitos parentes de Luan Maciel. 

“Disse que ficou com medo, e só agora retornou para ficar à disposição da Justiça”, frisou o delegado. O pedreiro não quis dar entrevista à equipe do SN

Compartilhamentos