Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Depois do assalto a duas professoras na última sexta-feira, 10, na Escola Estadual Nilton Balieiro, Marabaixo III, zona oeste de Macapá, o comando do Policiamento Escolar da PM se reuniu com a comunidade para discutir soluções para o problema de segurança pública no bairro, que infelizmente não depende apenas da Polícia Militar.

Cerca de 900 pais e responsáveis por alunos participaram da plenária realizada na própria escola na tarde deste sábado, 11. O auditório não comportou a quantidade pessoas, que precisaram acompanhar a discussão do lado de fora.  

O objetivo do encontro, solicitado pela comunidade, era falar dos problemas que colaboram com a violência. Entre as dificuldades levantadas estão: a falta de iluminação pública, mato alto ao redor da escola, entre outras.

“Na semana que vem vamos reunir com conselho tutelar, Ministério Público, CEA e outros órgãos que têm o poder de resolver esses problemas. A PM não consegue ficar o tempo todo na frente da escola, mas vamos procurar intensificar o policiamento, especialmente na saída da aula”, adiantou o tenente Marcelo, que comanda o serviço de Policiamento Escolar.

Tenente Marcelo dialoga com pais preocupados com a violência. Fotos: Divulgação

Tenente Marcelo dialoga com pais preocupados com a violência. Fotos: Divulgação

O assalto na sexta-feira fez duas professoras vítimas. Os criminosos pularam o muro baixo da escola encapuzados, renderam as educadoras, e levaram bolsas, dinheiro, celulares e notebooks. Em seguida, eles fugiram num carro que dava apoio.

“Já temos nomes. Eles sempre atuam naquelas redondezas. Eles fazem isso, passam um tempo no interior do Estado, e depois voltam. A gente vai pegar eles”, garantiu o oficial.

Auditório não comportou por mais de 900 moradores

Auditório não comportou por mais de 900 moradores

Compartilhamentos