Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um assaltante deu muito azar na tarde desta sexta-feira, 17, ao roubar a funcionária de uma empresa no exato momento em que uma viatura do Bope passava pelo local. O crime ocorreu na Rodovia Duca Serra, em frente a uma construtora.

O assalto ocorreu por volta das 16h. A vítima e uma colega de trabalho estavam deixando a sede da empresa quando foram abordadas por três indivíduos. Um deles sacou uma faca grande e exigiu os pertences da moça.

“Eu pedi pra tirar meu documento da bolsa e ele disse: que documento? E puxou a minha bolsa e saiu correndo para dentro do mato. Graças a Deus a Rotam passava na hora pelo local”, lembra a vítima.

Policiais da Rondas Ostensivas Motorizadas (Rotam), companhia do Bope, vinham de um patrulhamento no Bairro Marabaixo quando populares gritaram avisando que um assalto tinha acabado de acontecer.

Menor de 16 anos apontou faca no pescoço da vítima. Fotos: Olho de Boto

Menor de 16 anos apontou faca no pescoço da vítima. Fotos: Olho de Boto

Os policiais desceram da viatura e iniciaram a perseguição aos elementos dentro da área de mata que pertence ao Exército. Um dos criminosos foi preso.

O assaltante tem apenas 16 anos e foi reconhecido pela vítima e testemunhas.  

“Foi reconhecido como o que fez a grave ameaça colocando a faca no pescoço dela subtraindo a bolsa que encontramos na mata com todos os pertences da vítima”, comentou o tenente Cecílio, do Bope.

Os outros comparsas conseguiram fugir pela mata. O menor foi apresentado com a faca do crime e a bolsa da vítima na Delegacia Especializada em Investigação de Atos Infracionais.

“A maioria da empresa já foi assaltada. Hoje, infelizmente fui eu. A gente nunca pensa que vai acontecer com a gente, mas aconteceu”, disse lamentando, apesar da sorte de ter recebido de volta todos os pertences roubados.  

Bolsa com celular, documentos e dinheiro foi devolvida

Bolsa com celular, documentos e dinheiro foi devolvida

Segundo a vítima, assaltos no mesmo trecho da Rodovia Duca Serra. Só que desta vez, a PM passava pelo local no momento certo.

“Azar do ladrão, sorte da sociedade”, define o tenente Cecílio.

Compartilhamentos