Compartilhamentos

 DA REDAÇÃO

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) investiga um esquema de furto de carne estragada que era levada de um frigorífico no município de Santana para a fabricação de ração de peixe. Após a prisão em flagrante de um funcionário do frigorífico que tentava subtrair 88 caixas de frango estragadas, a Promotoria de Defesa do Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo da Comarca de Santana realizou uma inspeção no local na terça-feira, 21.

Promotor Adilson Garcia aguarda laudos

Promotor Adilson Garcia aguarda laudos

A equipe apura se esse tipo de procedimento é saudável para os animais e se o procedimento seria feito com frequência pelo funcionário ou outras pessoas.

A ação foi realizada em conjunto com Batalhão Ambiental e Delegacia Especializada em Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema) nas dependências do estabelecimento. O frigorífico não foi fechado e ainda não recebeu nenhum tipo de penalização.

A carne ficou imprópria para consumo humano quando era transportada de Belém para Santana em uma balsa. O conteiner refrigerado falhou, e a carne descongelou. Só em frangos o MP contou quase 300 caixas, além de outras carnes de aves. 

O caso é apurado pelo promotor de justiça, Adilson Garcia. Ele informou que será elaborado um relatório por técnicos e peritos que participaram da ação.

No total, foram 280 caixas de frango impróprio para consumo humano. Foto: MP/Divulgação

No total, foram 280 caixas de frango impróprio para consumo humano. Foto: MP/Divulgação

“Os peritos da Politec, Dema e técnicos do Batalhão Ambiental irão elaborar um relatório de inspeção, que será encaminhado a esta Promotoria de Justiça. Caso seja apontada alguma irregularidade, serão adotadas as medidas administrativas, cíveis e criminais cabíveis”, ressaltou.

Compartilhamentos