Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

A Polícia Civil (PC) divulgou na tarde desta quarta-feira, 15, dados de roubos de celulares na cidade de Macapá nos dois primeiros meses do ano. Em média, 2 celulares são roubados por dia. A falta de atenção das vítimas é apontada como principal atrativo para os bandidos.

Os dados são da Delegacia Especializada em Crimes Contra o Patrimônio (DECCP). O delegado Anderson Costa aponta que esse número pode ser cinco vezes maior do que parece, pois muitas vítimas não registram a ocorrência e os que registram não acompanham o processo.

“Acredito que a gente registre no máximo 20% do que realmente ocorra. Às vezes a pessoa não registra porque acredita que não vai recuperar o aparelho. Tem telefones que recuperamos depois de um ano que foi roubado e a vítima até se assusta quando procuramos ela”, disse o delegado.

Delegado Anderson Costa: há casos de celulares recuperados até um ano depois. Fotos: André Silva

Delegado Anderson Costa: há casos de celulares recuperados até um ano depois. Fotos: André Silva

Nos últimos dois meses, a DECCP recuperou 98 telefones que foram roubados em via pública. Não entram nos dados os que foram subtraídos em estabelecimentos comerciais, residências ou que foram furtados (quando há subtração do bem sem grave ameaça ou violência).

Somados os valores aproximados desses aparelhos, o delegado chegou ao montante de R$ 50 mil.

“Essa modalidade de crime está em ascendência contínua já tem um tempo. A gente sabe que ninguém escolhe ser vítima, mas queremos alertar a população que adote algumas cautelas para não ser roubada”, reforçou o delegado.

Entre as cautelas recomendadas está a não utilização do aparelho em via pública. Para ele, esse tipo de vítima, não está atenta ao que acontece ao seu redor. Orienta ainda que a pessoa nunca ande sozinha em lugares escuros. Ele aponta que as principais vítimas de bandidos que praticam essa modalidade de crime, são adolescentes, mulheres e idosos. Os desatentos estão no topo da lista.

“Às vezes a pessoa está utilizando o telefone de cabeça baixa e esquece de prestar atenção ao que está acontecendo em sua volta”, reforçou o delegado.

Principal local de venda de aparelhos roubados tem sido as redes sociais

Principal local de venda de aparelhos roubados tem sido as redes sociais

O mercado dos telefones roubados

O delegado comentou que investigações apontaram que o mercado de compra e venda de telefones roubados tem crescido em Macapá. Os principais canais de venda apontados são OLX e o Facebook, além de lojas de assistência de celular. A Polícia Civil tem descoberto que empresários estão envolvidos nesse tipo de crime.

O delegado Anderson Costa orienta que toda pessoa que for comprar um aparelho por qualquer um  desses canais, certifique-se de que ele possua nota fiscal. Alerta que ao comprar observe as especificações do aparelho na nota.

“Já houve caso de pessoas apresentarem nota fiscal de um aparelho que não era o dela. As especificações estavam todas diferentes e na hora a própria vitima se assusta com as incongruências do documento”, finalizou.

As pessoas que compram aparelhos roubados, além de ir até a delegacia prestar esclarecimento, podem responder pelo crime de receptação culposa sem falar do prejuízo que acaba levando.

Compartilhamentos