Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Duas empresas se inscreveram no pregão eletrônico para a utilização dos espaços comerciais do Trapiche Eliezer Levy, um dos principais pontos turísticos na orla de Macapá. As propostas vieram após a diminuição dos preços e com duas licitações sem sucesso do governo. O espaço deve reabrir mesmo com o Bondinho parado.

Desde janeiro, o governo do Estado já tinha feito dois pregões eletrônicos para o espaço. No primeiro, o valor inicial da licitação para o restaurante na ponta do trapiche era de R$ 4 mil, e R$ 2 mil para o espaço na da cabeça da ponte. Mas não houve interessados.

 Bondinho está abandonado e sem previsão de ser reativado. Fotos: Cássia Lima

Bondinho está abandonado e sem previsão de ser reativado. Fotos: Cássia Lima

“Houve uma reformulação do que pode ou não ser reformado pela Secretaria de Infraestrutura para diminuir o valor e mesmo porque não havia interessados”, explicou o assessor jurídico da Secretaria de Turismo (Setur), Joison Monteiro.

Com a reformulação, o valor do restaurante ficou a R$ 2 mil, e o do espaço onde funcionava uma sorveteria ficou a R$ 1,7 mil. A empresa que ganhar a licitação pode ter desconto, segundo os termos da norma para a reforma estrutural, divulgado pela Secretaria de Infraestrutura (Seinf).

“Isso não significa que qualquer reforma será descontada. Só será considerada a reforma necessária estrutural. Adaptações da empresa com o espaço para o seu uso não é responsabilidade nossa”, frisou o assessor.

Áreas licitadas que devem ser ocupadas nos próximos dias

Áreas licitadas que devem ser ocupadas nos próximos dias

A licitação realizada nesta manhã anunciará em 20 dias a empresa vencedora. Após isso, o espaço poderá ser utilizado em 45 dias. O edital destaca ainda que as empresas vencedoras deverão realizar manutenção regular da estrutura e pagamento da utilização de água e luz.

Atualmente, o Trapiche Eliezer Levy é de responsabilidade da Setur, mas a estatura da ponte é obrigação da Seinf. Já o Bondinho está a encargo da Secretaria de Administração (Sead). Caso seja aprovado o projeto de reforma do atrativo do Trapiche, quem deverá tomar a frente é a Seinf.

Trapiche

Responsabilidade do Trapiche é dividida entre três secretarias do Estado

O Bondinho é a única parte que está isolada no trapiche. Tem um buraco na estrutura de ferro e dentro esta cheio de entulho. De acordo com o governo, não há previsão de funcionamento do atrativo.

Compartilhamentos