Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Era pra ter sido uma tarde normal a do dia 26 de janeiro de 2017 para a família Mendes, mas tudo mudou quando a mãe e os dois filhos foram atacados na rua por um cachorro da raça pitbull. O animal derrubou os três da bicicleta, arrastou a filha no chão e mordeu o rosto do menor. Tudo em menos de 5 minutos.

“Eu fiquei desesperada. O cachorro pulou em mim e quando me soltei ele mordeu no cabelo da minha filha e arrastou ela. Meu filho tava no chão com a bicicleta em cima dela. Não sabia se acudia um ou socorria o outro” relembra a mãe, Gerusa Mendes da Silva, de 25 anos.

Ela conta que estava a caminho da escola, em Santana e que iria fazer a rematrícula da filha, Ana Clara Mendes da Silva, de 6 anos. Mas quando saiu de casa, do Bairro Piçarreira, o filho Artur Emanuel da Silva Mendes, de 2 anos, chorou pra ir com ela.

“Eu coloquei eles dois na bicicleta e fui. Nunca passou pela minha cabeça que isso aconteceria. Eu vi o cachorro na rua. Quando ele começou a correr eu andei devagar pra ver se ele ia embora. Foi aí que ele pulou em cima de mim a bicicleta caiu”, contou Gerusa.

Animal fugiu de empresa onde é mantido. Fotos: arquivo pessoal

Animal fugiu de empresa onde é mantido. Fotos: arquivo pessoal

O incidente aconteceu em menos de 5 minutos em uma via pública, mas na cabeça da Gerusa o tempo pareceu uma eternidade ao ver os filhos sendo atacados pelo animal. A situação terminou quando os funcionários de uma empresa, de onde o cachorro era, seguraram o animal. A família foi levada ao hospital.

Gerusa foi arranhada na região da cintura e panturrilha e foi vacinada. Ana Clara teve escoriações devido ter sido arrastada pelo animal e sentiu dores de cabeça. Já o filho menor, Artur, teve três cortes no rosto devido a mordida. Um levou 5 pontos por dentro e 8 por for fora. O segundo 4 pontos por dentro e 3 por fora e um último de 8 por dentro e 4 por fora.

“A gente morre de medo de cachorro grande. O Artur nem brinca na rua mais. Eles estão desconfiados e o Artur olha pra tudo com medo. Não fica em um canto só de jeito nenhum”, frisou Gerusa que é vendedora de lanches.

Ela conta que chegou a receber os primeiros socorros do dono do pitbull, que ele chegou a comprar remédios pra ela e os filhos. Mas que não arcou com todas as despesas e auxílio. Atualmente, ela e o esposo, movem uma ação por danos morais e materiais na 1ª Vara da Fazenda, em Santana. A primeira audiência está marcada para o mês de maio.

“O cachorro tava na rua solto. Inclusive, existem testemunham que sempre o viam lá na rua. Ele nos atacou quando só passávamos ali. Eu fiquei sem trabalhar por semanas, meus filhos têm traumas e eu quero justiça”, destacou Gerusa.

O dono do pitbull, Rosinei Araujo Correia, confirma que o animal estava na rua porque havia se soltado e fugido do quintal, mas que isso aconteceu apenas naquele dia. Ele alega que prestou os primeiros socorros e deu toda solidariedade para a família.

“Infelizmente o cachorro se soltou e aconteceu isso. Eu mesmo acompanhei a família no hospital, comprei remédios, fui na casa deles visitá-los, dei cesta básica e tudo. Dei toda ajuda que poderia e até mais”, disse Rosinei por telefone.

Compartilhamentos