Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Para fazer frente aos altos índices de violência doméstica, o Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) iniciou nesta segunda-feira, 6, a campanha “Justiça e paz em casa”. A ideia é julgar em uma semana o máximo de processos de violência contra a mulher ocorridos dentro do ambiente familiar.

A campanha é nacional é mostra dados alarmantes nos últimos três anos no Amapá. Em 2015 ocorreram 700 audiências na semana da campanha. Em 2016 foram 800 processos, já este ano são 900.  Atualmente, existem 2.995 mil processos em andamento contra violência doméstica.

“Se a gente levar em conta que apenas um décimo dessa violência chega ao judiciário, nós temos dados assustadores. Nos já recebemos a consequência do conflito, mas precisamos agir na causa. Vamos marcar uma reunião com a secretaria da Mulher para ações eficazes”, frisou o presidente do Tjap, desembargador Carlos Tork.

Lançamento da campanha, durante a manhã desta segunda, 6. Fotos: Cássia Lima

Lançamento da campanha, durante a manhã desta segunda, 6. Fotos: Cássia Lima

A campanha ocorre em todas as comarcas do Estado com foco em vítimas do sexo feminino. Muitas audiências já estão marcadas, mas mulheres que estiverem com processos dessa natureza podem procurar a comarca mais próxima.

De acordo com a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres no Amapá (Semp), Silvanda Duarte, os casos da Justiça são de agressões físicas. Mas a secretaria possui um alto índice de casos de violência psicológica.

“Esse é um aumento preocupante. 80% dos casos que atendemos pelo Centro de Atendimento à Mulher e à Família (Camuf) são de violência psicológica. A gente fica satisfeita em ver a mulher buscando esse empoderamento e saindo dessa violência, mas queremos diminuir esses dados”, ressaltou a secretária, Silvanda Duarte.

A secretária junto com o Tjap pretendem fazer reuniões para buscar formais mais eficazes de combater a violência doméstica. Já existe uma reunião agendada para esta semana.

Compartilhamentos