Compartilhamentos

SELES NAFES

A Caixa Econômica Federal no Amapá vai começar a pagar nesta sexta-feira, 10, as contas inativas do FGTS para os nascidos em janeiro e fevereiro. No total, até agora, mais de 6 mil pessoas solicitaram os saques em todo o Estado. Para atender com rapidez o maior número possível de clientes, o banco também abrirá as portas no sábado, 11, exclusivamente para esse atendimento.

No total, o Amapá tem 40 mil contas inativas de pessoas que pediram demissão ou foram demitidas por justa causa até 2015. Desses, por enquanto, 6.470 solicitaram os saques ou crédito em conta, totalizando R$ 5,5 milhões.

Quem ainda não pediu ainda pode fazer isso indo até uma agência, ou acessando www.caixa.gov.br/contasinativas. Basta preencher um pequeno formulário com o CPF, documento de identidade e fornecer os dados da conta.

“O dia 31 de julho é a data final. Até lá o calendário continua vigente e ninguém vai perder seu direito”, garante o superintendente regional da Caixa no Amapá, Ederson Negri.

Na sexta-feira, as sete agências de Macapá, Santana e Laranjal do Jari irão abrir suas portas duas horas mais cedo, às 9h. No sábado, 11, as agências funcionarão das 9h às 15h apenas para o público que quer sacar o FGTS.  

“A gente vai ter toda a rotina de crédito de conta em poupança. Quem tem saldo terá o crédito imediato na conta, isso para todos aqueles que fizeram a solicitação”, informou Negri.

Superintendente da Caixa, Ederson Negri: até 31 de julho o calendário continua

Superintendente da Caixa, Ederson Negri: até 31 de julho o calendário continua. Foto: Arquivo/SELESNAFES

Nas cidades que não possuem agências, é possível fazer o saque em agentes autorizados ou lotéricas, desde que o valor não exceda R$ 3 mil.

Em regra geral, até R$ 1,5 mil, o saque será possível com a senha do cartão do cidadão e o número do PIS no autoatendimento (caixa eletrômico).

Até R$ 3 mil, com o cartão do cidadão e senha no autoatendimento e correspondentes bancários.

Acima de R$ 3 mil, apenas nos caixas das agências.

“Para o atendimento presencial é necessário que o cliente esteja com a carteira de trabalho, documento de identidade. Se for superior a R$ 10 mil, um termo de rescisão”, concluiu.

Compartilhamentos