Compartilhe

ANDRÉ SILVA

O prédio da Subprefeitura da Macapá localizado no Bairro São José, zona norte da cidade, está sendo saqueado. Segundo moradores, os vândalos estão levando portas, janelas, fiação elétrica e até o forro das salas que funcionavam como subsecretarias. Eles disseram também, que o local tem sido usado como esconderijo por bandidos e de casa para duas pessoas.

O local funcionou como subprefeitura entre os anos de 2008 a 2012, durante o mandado do ex-prefeito Roberto Góes (PDT), mas deveria ser utilizado como centro de abastecimento de grãos para receber a produção agrícola dos nove distritos de Macapá e distribuir para as feiras da cidade, segundo informou a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Semdec).

Além de abandonado, local tem servido de abrigo para criminosos, segundo moradores. Fotos: André Silva

Além de abandonado, local tem servido de abrigo para criminosos, segundo moradores. Fotos: André Silva

O não cumprimento do objeto do convênio com a Caixa Econômica Federal levou ao fechamento do local, que agora vai passar por uma adequação na sua infraestrutura para que seja finalmente usado para o fim que foi criado.

A Secretaria Municipal de Obras (Semob) já fez um projeto de adequação do prédio e aguarda pela liberação do laudo do Corpo de Bombeiros para que as adaptações  sejam iniciadas.

“A gente espera que em abril o Corpo de Bombeiros dê o parecer sobre as modificações e reparos que queremos fazer lá com os recursos do tesouro, afim de alcançar o objeto do convênio que é a central de grãos”, explicou o secretário Lucas Abraão.

Manoel da Silva Borges, de 69 anos,  mora ao lado do prédio. Ele alega que a escuridão e o abandono do prédio traz insegurança e medo para ele e para os outros os moradores, que já testemunharam vários homens pulando o muro levando objetos de dentro do local.

“É muita bandidagem aí dentro. Logo que fechou, a gente via o pessoal atravessando a BR com computador completo nas mãos. Hoje em dia até os trailers que ficavam guardados aí estão levando”, denunciou.

PMM trabalha com projeto para retomada do espaço

PMM trabalha com projeto para retomada do espaço

Seu Manoel Borges conta que quando escurece as pessoas não têm mais coragem de descer no ponto de ônibus que fica em frente ao local devido aos inúmeros assaltos que já aconteceram.

O microempresário Lucas Breno, de 18 anos, disse já ter testemunhado o movimento de pessoas que entravam e saíam do prédio com vários objetos como portas e janelas. Ele acredita que a Prefeitura Municipal de Macapá (PMM) poderia usar o local como escola ou centro profissionalizante.

“A gente vê malandro saindo com coisas daí. A escuridão e o abandono facilitam para a aglomeração deles. Tem até um casal que mora aí dentro”, denunciou o jovem.

Compartilhe