Compartilhamentos

JEFFERSON SILVA

A Polícia Civil prendeu na tarde desta sexta-feira, 10, no Bairro Renascer 1, na zona norte de Macapá, Jardem dos Santos Guimarães, 36 anos. Através do serviço de investigação da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE), a polícia deteve o homem em flagrante escondendo cerca de meio quilo de cocaína em sua casa, onde reside com a esposa e o filho.

De acordo com informações da DTE, Jardem dos Santos era um distribuidor da droga e operava para o verdadeiro dono da substância entorpecente, um detento que cumpre pena no Iapen.

Preso com meio quilo de cocaína (6)

Jardem dos Santos agia sem chamar a atenção. Fotos: Jefferson Silva

O homem fazia a distribuição da cocaína principalmente na zona norte, mas também tinha pontos de venda na zona sul da cidade. A cada porção de R$ 300 vendida, ele ficava com R$ 50.

“Não é normal esse tipo de apreensão, mas infelizmente está virando. Nos últimos meses a gente tem pego pó em diversos pontos e infelizmente a juventude, pessoal de classe média, classe alta tem feito uso dessa droga principalmente em festas e em boates”, comentou o delegado Sidney Leite, da DTE.

Delegado Sidney Leite:

Delegado Sidney Leite: casos de apreensão de cocaína tem aumentado

Segundo o delegado, Jardem dos Santos não tinha tanta preocupação em esconder a droga, pois sua casa não funcionava como boca de fumo. Ele atuava distribuindo a droga pela cidade sem chamar atenção.

“A droga estava escondida na casa dele. Ele deixava a droga dentro do quarto, dentro de um capacete, junto com a balança de precisão”, explicou o delegado.

Droga e balança de precisão estavam dentro do quarto do homem

Droga e balança de precisão estavam dentro do quarto do homem

Sidney Leite disse ainda que a Polícia Civil está trabalhando para responsabilizar penalmente o traficante que mesmo preso, continua operando a venda de cocaína e que as investigações tem avançado na busca dos operadores do tráfico em Macapá.

“Estamos identificando os principais traficantes da cidade e eles estão sendo um a um procurados”, concluiu.

Compartilhamentos