Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

O município de Vitória do Jari, distante 180km de Macapá, pode ter novas eleições para prefeito e vice. A possibilidade de uma eleição suplementar depende do Ministério Público Eleitoral, que investiga os gestores eleitos em outubro de 2016.

O MPE entrou com Ação de Investigação Judicial Eleitoral contra o prefeito Raimundo de Alcimar Ney de Souza (PT, na foto de capa) e seu vice, José da Assunção Ferreira Câmara (PDT), com base em denúncias por abuso do poder de autoridade e econômico durante as eleições de 2016.

Vitória do Jari

MPE investiga coligação do prefeito reeleito. Fotos: André Silva

Segundo a denúncia, o abuso do poder econômico ocorreu para angariar votos nas eleições para prefeito. As investigações apontam que o candidato chegou a usar dinheiro público para ganhar votos.

O julgamento da denúncia será feito pelo juiz da comarca de Vitória do Jari, Julle Anderson de Souza Mota. Ele marcou o julgamento para o dia 25 de maio, às 12h horas, no Fórum de Vitória do Jari.

Se o prefeito for condenado, o TRE pedirá novas eleições para escolher prefeito e vice prefeito, mas a decisão também tem prazo para recursos.

Pela nova legislação eleitoral, em caso de cassação do primeiro colocado, não é mais o segundo lugar quem assume. Assim como em Calçoene, será necessária uma nova eleição. 

Compartilhamentos