Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Após denúncia anônima, o Batalhão de Rádio Patrulhamento Motorizado (BRPM) descobriu durante a madrugadas desta sexta-feira, 7, um ponto de venda de drogas no Bairro Brasil, zona norte de Macapá.

Os policiais contaram com a ajuda do cão farejador do Batalhão de Operações Especiais (Bope), que localizou mais de meio quilo de drogas (507 gramas) dentro da residência de Cláudia Ferreira Dias, de 32 anos. Parte das substâncias estava inclusive escondida enterrada no chão do quintal.

Drogas estavam espalhadas pela casa. Fotos: Olho de Boto

Drogas estavam espalhadas pela casa. Fotos: Olho de Boto

No momento da chegada da equipe na Avenida Açaí, na esquina com a Rua Acerola, um grupo em atitude suspeita empreendeu fuga do local. De acordo com a polícia, as pessoas pareciam estar consumindo alguma droga. 

O BRPM foi então até a casa denunciada e, enquanto conversava com a proprietária do local, pela fresta da porta, os policiais viram que a mulher escondia as substâncias entorpecentes pela casa. Ao abrir a porta, Cláudia Ferreira Dias resistiu por um momento a entrada da PM, alegando não haver nada de ilícito em sua residência, mas deixou a equipe entrar em seguida.

“Como tínhamos visto onde ela tinha escondido essas substâncias, nós fomos lá e encontramos 45 porções possivelmente de maconha”, disse o aspirante a oficial, Celso Cunha, do BRPM.

Canil ajudou a encontrar restante dos entorpecentes

Canil ajudou a encontrar restante dos entorpecentes

Foi somente depois da chegada do canil do Bope é que foi encontrado mais uma grande porção de entorpecentes dos tipos maconha, cocaína e crack, espalhados no lixo da cozinha, no quarto da mulher, na sala e no quintal.

Segundo o aspirante a oficial Celso Cunha, várias denúncia já haviam sido feitas do local como ponto de venda de drogas e que objetos furtados e roubados eram levados até o local para comprar substâncias ilícitas.

“A vizinhança acaba virando refém dos que traficam. Inclusive há vários relatos, que esse pessoal faz furto, roubo nas proximidades e vão deixar na boca de fumo”, disse o policial.

Cláudia Ferreira Dias tinha negado existência de drogas em sua casa

Cláudia Ferreira Dias tinha negado existência de drogas em sua casa

Ele destacou ainda a importância das denúncias anônimas e do trabalho do cão farejador.

“Sem a denúncia não saberíamos que ali estava havendo o tráfico de entorpecentes. E também se fosse somente o ser humano, certamente não teríamos encontrado as drogas, mas o cão ele ajuda bastante”, concluiu.

Cláudia Ferreira Dias foi presa e conduzida para o Ciosp do Pacoval onde foi apresentada para as providências legais.

Local era alvo de várias denúncias, segundo a polícia

Local era denunciado constantemente, segundo a polícia

 

Compartilhamentos