Compartilhe

OLHO DE BOTO

Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) do Amapá prenderam um homem acusado de participar de uma sequência de furtos em igrejas. Vários objetos foram recuperados.

Um dos alvos foi uma igreja católica no Bairro do Zerão, na zona sul de Macapá. Graças a imagens de uma câmera de segurança, os policiais puderam identificar o carro que foi usado para transportar os objetos da igreja no último dia 12.

“Chegando ao proprietário do veículo, ele informou onde tinha deixado os produtos, que era uma vila de quitinetes também no Zerão”, explicou o comandante do Bope, coronel Paulo Mathias.

Pirata estava com o quitinete cheio de utensílios que teriam sido furtados de igreja. Fotos: Olho de Boto

Pirata estava com o quitinete cheio de utensílios que teriam sido furtados de igreja. Fotos: Olho de Boto

Na residência indicada, os policiais encontraram Kelson Rafael dos Santos Braga, conhecido “Pirata”, e dentro do imóveis estavam os produtos retirados da igreja.

O Bope diz que Pirata já vinha sendo procurado por vários furtos semelhantes.  

“Ele ganha a confiança de padres e pastores para ficar residindo nas igrejas e tirava cópias das chaves. Depois, sabendo dos horários das igrejas e outras informações ele aproveitava para fazer os furtos”, comentou o comandante do Bope, Paulo Matias.

Comandante Paulo Mathias: furtos em semelhantes em outras igrejas

Comandante Paulo Mathias: furtos em semelhantes em outras igrejas

Policiais conseguiram identificar o carro usado no transporte dos utensílios da igreja

Policiais conseguiram identificar o carro usado no transporte dos utensílios da igreja

Na quitinete os policiais recuperaram geladeira, TV, armário duplex e outros utensílios furtados da igreja católica no dia 12. A PM recebeu informações de que Pirata vendia os produtos furtados em lojas de usados, e não se sabe se ele agia sozinho.

O motorista da picape Courier usada para transportar os produtos furtados também foi conduzido para o Ciosp do Pacoval, mas a Polícia Civil ainda vai apurar se ele sabia que os produtos eram furtados.

O motorista se disse inocente, mas admitiu que já tinha feito três fretes para Pirata, que já responde a outros inquéritos por furto e assalto.

Compartilhe