Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) não se posicionou oficialmente sobre o assunto mas, em menos de 24h, demitiu 140 “servidores” na casa de leis. As exonerações foram publicadas no Diário Oficial Online da instituição. Todos eram funcionários da presidência da Assembleia.

As exonerações começaram na quarta-feira, 5, e continuaram nesta quinta, 6. Os funcionários exonerados ocupavam os cargos de assessor especial parlamentar, agente técnico administrativo, assistente administrativo e auxiliar operacional. 

Um servidor da Alap, que preferiu não se identificar, revelou ao portal SELESNAFES.COM que em alguns casos havia até 6 pessoas nomeadas para o mesmo cargo, e alguns não apareciam regularmente para trabalhar.

“Esses são os chamados funcionários fantasmas. Tem gente que nunca vimos aqui e outros que são “turistas”. Muitos cargos tinham mais de 5 funcionários. Geograficamente, o espaço aqui não comporta todas essas pessoas”, ressaltou uma fonte.

Por outro lado, o gabinete da presidência, ocupado atualmente pelo deputado Kaká Barbosa (PTdoB), informou que as exonerações fazem parte de recomendações do Ministério Público do Estado (MPE) para diminuição da folha de pagamento.

Compartilhamentos