Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A família do pequeno Guilherme Costa, de 4 anos, tenta arrecadar dinheiro para levar a criança para Belém o mais rápido possível. O menino está com uma bactéria desconhecida que já causou uma infecção e o deixou surdo, além de uma paralisia facial.

Devido a perda da audição, a família tenta conseguir dinheiro por meio de rifas para custear uma raspagem do lado direito do ouvido que continua saindo secreção e comprar aparelhos auditivos, cada um custa R$ 5 mil.

Segundo a mãe, Nataly dos Santos Costa, de 24 anos, tudo começou em fevereiro quando o Guilherme não melhorava de uma gripe. Até que na metade do mês, os ouvidos da criança começaram a expelir pus.

“Depois de muita insistência minha, os médicos internaram ele e fizeram uns exames. Eles me disseram que foi uma bactéria causada pela gripe mal curada. Ele já tava todo inchado”, conta a mãe de Guilherme.

O garoto continuou internado e no mês de março surgiu uma inflamação na garganta se expandindo para os ouvidos causando infecção. O estado de saúde se complicou e Guilherme ficou surdo. Da falta da audição veio uma paralisia no rosto.

A família agilizou vários exames, dentre eles, os de ressonância e Tomografia, mas os mais especializados devem ser feitos no Pará, assim como um tratamento especializado para saber a origem da bactéria.

“Ele tem que fazer uma raspagem no osso para poder matar as bactérias, isso só faz em Belém”, disse a mãe.

Guilherme já tem consulta marcada para o dia 15 de maio em Belém. Para ajudar nos custos a família está vendendo por R$ 3 uma rifa que será realizada no dia 14 de maio, na 13ª Avenida dos Congós, número 1507.

Serão sorteados um tapete,  sanduicheira, um DVD, jogo de xícaras , jogo de porcelanas, cesta de chocolates, liquidificador, entre outros. A família está aceitando doações em dinheiro e brindes também. O telefone de contato é (96) 99116-8463.

Compartilhamentos