Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Caçambeiros amanheceram esta quarta-feira, 19, na porta do Palácio do Setentrião, na Rua General Rondon, bem no Centro de Macapá. Os profissionais cobram do governo pagamento de dois meses de serviços referente ao ano de 2016.

Segundo o caçambeiro Alex Almeida, de 39 anos, 15 profissionais foram demitidos da empresa contratada pelo governo porque realizaram uma paralisação no ano passado, quando cobravam 7 meses de salários. Todos foram demitidos e receberam quase todo o pagamento, com exceção de alguns meses.

“Nos demitiram, mas ficou faltando o pagamento do mês de março, 12 dias de abril e 15 dias de setembro. A empresa RTE diz que o Secretaria de Transporte (Setrap) não pagou porque não houve o repasse do governo”, frisou o caçambeiro.

Caçambas paradas em frente do Palácio do governo (1)

Caminhões ocuparam a Rua General Rondon bloqueando o trânsito. Fotos: Cássia Lima

Os profissionais trabalharam transportando aterro e asfalto para as obras de ampliação da Duca Serra, que hoje está quase finalizada. Os caçambeiros alegam que vão ficar em frente ao Palácio do governo até serem recebidos.

“Estamos atrás dos nossos direitos, estamos precisando. Tem gente devendo parcelas de caminhão. Só vamos sair daqui com o pagamento em mãos”, destacou caçambeiro Alex.

Alex Almeida

Alex Almeida: estamos precisando

De acordo com a Secretaria de Estados de Transportes (Setrap), não há vínculo trabalhista dos caçambeiros com o governo do Estado, a relação destes trabalhadores é com a empresa terceirizada que presta serviços à Setrap, com a qual a Setrap está em dia com os pagamentos de 2017.

O Setrap reconhece que há pendências com a empresa referentes ao ano de 2016, mas que já estão sendo negociadas. A previsão é que no dia 24, o governo reúna com a empresa para negociar as reivindicações dos trabalhadores. A meta é que dia 25 seja divulgado o acordo resultante da reunião. 

Compartilhamentos