Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Com dois talões de luz atrasados e com a eminência de um novo possível corte, a direção do Centro de Promoção Humana Daniel de Samarate, os Capuchinhos, pediu ajuda da Câmara de Vereadores de Macapá na última terça-feira, 18. Os gestores do centro tentam, por meio dos vereadores, uma possível parceria com a prefeitura de Macapá.

Segundo o diretor dos Capuchinhos, frei Carlos Pestana, os talões de luz atrasados são de março e abril e chegam a soma de mais de R$ 9 mil. A instituição teve um convênio reativado com o governo do Estado, mas não inclui as contas de luz nas despesas.

Vereadores receberam direção do centro nesta terça-feira, 18. Fotos: Cássia Lima

Vereadores receberam direção do centro nesta terça-feira, 18. Fotos: Cássia Lima

“O antigo convênio com o governo pagava a conta de luz, mas o novo de fomento não paga mais. Nós viemos aqui expor nossa situação e talvez tentar encontrar um colaborador para nos ajudar a pagar essa conta”, destacou o frei Carlos.

O convênio do governo com o centro garante atendimento em mais de 30 especialidades de saúde que são ofertados gratuitamente, como: cardiologia, clínico geral, dermatologista, exames laboratoriais, fisioterapia, ginecologia, mastologia, massoterapia, nutricionista, odontologia, ortopedia, oftalmologia, entre outros.

São repassados mensalmente R$ 125 mil para pagamento dos funcionários, medicamentos, alimentação e manutenção dos consultórios. Os Capuchinhos, atendem até 24 mil pacientes de baixa renda anualmente.

Instituição teve luz cortada em março

Instituição teve luz cortada em março

Durante o apelo da direção do centro na CMM, o vereador Iuri Pelaes se disponibilizou a tentar diálogo com a prefeitura para uma ajuda de custo, mas a reposta pode demorar. E o frei teme novamente pelo corte.

No dia 29 de março, a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) cortou a energia do local por causa do atraso de uma única fatura, do mês de fevereiro, mas após pagamento, a iluminação foi reativada em menos de 24h. O dinheiro veio de poupanças da instituição.

Compartilhamentos