Compartilhamentos

SELES NAFES

Uma empresa de consultoria e projetos já iniciou os estudos que irão indicar qual será o destino da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa).

Há algumas alternativas, como a privatização, parceria público/privada, sociedade mista ou a manutenção dela como uma entidade estatal.

A empresa foi contratada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

“É o BNDES quem opera o Programa de Parceria e Investimentos (PPI) da União, que está captando investidores nos setores estratégicos do país”, explica o secretário de Planejamento do Estado, Antônio Teles Júnior.

A cobertura de água e esgoto do Amapá é uma das piores do Brasil. Segundo o Instituto Trata Brasil, em 2013 apenas 5,95% dos habitantes de Macapá tinham coleta de esgoto.

“Não foi um setor estruturado, e por isso todos os estados foram convidados a participar desse programa. Empresa terá seis meses para entregar o estudo que vai apontar o modelo que será utilizado”, concluiu o secretário.

Compartilhamentos