Compartilhamentos

SELES NAFES

O Ministério Público do Amapá ofereceu denúncia à Justiça contra o ex-prefeito de Santana, Robson Rocha (PR) por falsificação de documentos e peculato. Os crimes teriam sido cometidos quando ele ainda era vereador, entre os anos 2009 e 2010.

As investigações foram conduzidas pelo promotor de Justiça Afonso Guimarães a partir de novembro de 2013. Segundo a denúncia, o então vereador teria usado documentos falsos para simular o aluguel de um veículo que na verdade nunca foi locado.

A despesa foi paga pela Câmara de Vereadores. De acordo com o MP, o carro teria sido alugado por um homem que, em depoimento durante o inquérito, negou que fosse o verdadeiro proprietário do veículo.

Ele declarou ter apenas cedido o nome para que seu genro pudesse comprar o veículo na concessionária. Ele também negou ter assinado os dois contratos de locação para o gabinete do vereador Robson Rocha.

Ainda em depoimento, o proprietário oficial do carro negou ter recebido qualquer vantagem financeira. O MP acredita que os contratos eram falsos e que o carro nunca foi alugado.

Em 2009, a despesa com locação do carro para o então vereador foi de R$ 57,6 mil. Em 2010, teriam sido R$ 48 mil.

Apesar de o inquérito ter sido conduzido pelo promotor Afonso Guimarães, o mesmo que coordenou os trabalhos da Operação Eclésia na Assembleia Legislativa, a denúncia é assinada pelo promotor Anderson Barbosa. 

Ele denunciou Robson Rocha nos artigos 132 (peculato) e 297 (falsificação) do Código Penal, além do ressarcimento aos cofres da Câmara de R$ 105 mil. Denúncia ofertada no último dia 23 de março.

O portal SELESNAFES.COM não conseguiu contato com o ex-prefeito Robson Rocha.

Compartilhamentos