Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um foragido do presídio de Americano, no Estado do Pará, foi preso na noite de sábado, 01, depois de praticar vários furtos em lojas no centro de Macapá. Wagner Soares da Costa, 39 anos, vulgo Parazinho, é acusado de furtar 3 vezes a mesma loja no centro Macapá, em apenas uma semana.

O criminoso foi pego tentando vender os objetos próximo da Praça da Coco, por volta das 20h. Segundo o dono da loja,o prejuízo ultrapassa R$ 20 mil.

Ao ser abordado, Parazinho ainda deu um nome falso para a polícia. Mas um informante já havia repassado para a equipe do 6º Batalhão da Polícia Militar (6º BPM) que na verdade se tratava de um foragido de Justiça.

Objetos furtados que Parazinho revendia pela orla de Macapá. Fotos: Olho de Boto

Objetos furtados que Parazinho revendia pela orla de Macapá. Fotos: Olho de Boto

Parazinho era conhecido no comércio por realizar furto em várias lojas e por trabalhar como flanelinha. Ele era procurado há 7 anos no Pará. Quando fugiu, cumpria uma pena de 23 anos por roubo. Do total da pena, cumpriu apenas 10 quando veio para o Amapá.

De acordo com o sargento Amin, do 6º BPM, o criminoso é velho conhecido da polícia, mas como usava nome falso, não havia registro contra ele. 

“Ele estava no Amapá há uns anos, sempre usando um nome falso. Uma das vítimas disse que já registrou quatro boletins de ocorrência contra ele”, disse o sargento.

O dono de uma das lojas roubadas, que preferiu não se identificar, comentou dos prejuízos causados por Parazinho.

Criminoso deve ser reencaminhado para o Estado do Pará, onde cumpre pena

Criminoso deve ser reencaminhado para o Estado do Pará, onde cumpre pena

“Ele invadiu o depósito da loja 3 vezes dando prejuízo de mais de R$ 20 mil. É acostumado a roubar as lojas do Centro, é muito conhecido. O vigia da rua de trás o reconheceu. Não é só ele, ele tem mais cinco comparsas. Ajeitava o telhado, o forro, no outro dia ele entrava de novo. A mercadoria que ele roubou ainda nem foi paga”, reclamou o comerciante.

Parazinho será encaminhado para audiência de custódia e, segundo a polícia, deve ser recambiado para o Estado do Pará.

Compartilhamentos