Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Macapá amanheceu quase sem transporte público e com escolas fechadas na manhã desta sexta-feira (28). A greve geral convocada pelos sindicatos também teve a adesão em órgãos públicos de todas as esferas e até dos trabalhadores de escolas particulares.

Centro de Ensino Moderno, Conexão Aquarela e Santa Bartoloméa, as três maiores instituições particulares, amanheceram fechadas.

Às 7h, os pais estavam sendo avisados sobre a suspensão das aulas no momento de deixar os filhos. Nas escolas estaduais não havia movimento porque a paralisação foi avisada com antecedência.

“Reunimos todos os sindicatos que representam todos os trabalhadores. Estamos fazendo reuniões há mais de 1 mês para paralisar tudo. Fomos nas garagens para que os ônibus parem e os funcionários não possam ir pro comércio. Conseguimos até a adesão em órgãos como o Ministério Público, porque final todos estão sendo afetados pelas reformas”, disse o presidente do Sindicato dos Servidores Público em Educação do Amapá, (Sinsepeap), Aroldo Rabelo.

Avenida FAB às 7h30min sem ônibus

Escolas públicas avisaram pais com antecedência

Sindicato estima que adesão foi de 100%

As ruas, avenidas e as rodovias urbanas, que costumam estar congestionadas na hora de pico, estavam com o trânsito tranquilo. Pouquíssimos ônibus estavam circulando.

Os bancários também ficaram de acompanhar a greve. Os lojistas divulgaram que o comércio funcionará normalmente, apesar da deficiência no transporte coletivo.

A partir das 8h começa a concentração na Praça da Bandeira. Os manifestantes seguirão em passeata pela Rua General Rondon passando em frente ao Palácio do Setentrião, depois continuam em direção ao comércio terminando de novo na Praça da Bandeira.

Compartilhamentos