Compartilhe

ANDRÉ SILVA

Uma grande cratera na Rua Raimundo Ramos, no Bairro Parque dos Buritis, zona norte de Macapá, que atrapalhava o tráfego de ônibus e carros, recebeu um serviço paliativo. Ela foi coberta por areia, seixo e uma camada muito fina de asfalto. Para alguns moradores, o serviço não resistirá por muito tempo.

Após várias reclamações, o buraco foi enfim tampado. Quem mora no local ficou mais de uma semana sem transporte público porque os motoristas foram proibidos pela empresa em fazer a rota dentro do bairro, pois muitos carros começaram a apresentar defeito devido as constantes batidas do veículo no buraco na tentativa de atravessá-lo.

Antes e depois da rua. Fotos: André Silva

Antes e depois da rua. Fotos: André Silva

O presidente da Associação de Moradores do Parque dos Buritis, Carlos Alcântara, acredita que mesmo sendo paliativo, já resolve parte dos problemas da comunidade que tem várias ruas com situação pior que esta.

“A gente reconhece que no inverno não dá pra fazer muita coisa, mas no verão, a gente espera que a equipe da Semob (Secretaria Municipal de Obras) volte no verão e faça um serviço de asfaltamento aqui na rua”, reforçou Alcântara.

?

Carlos Alcântara: esperamos trabalho definitivo no verão para resolver problema

Alguns moradores estão pouco confiantes quanto a qualidade do serviço. O motorista de ônibus Ronaldo Nunes, de 40 anos, disse que esse tipo de trabalho não dura muito tempo.

“Aí tem mais areia do que brita. Eu trabalho em ônibus e sei como é. O peso dele acaba até com asfalto bom imagina isso aqui que tem mais areia do que brita”, reclamou o motorista.

Ronaldo Nunes: mais areia do que brita no asfalto

Ronaldo Nunes: mais areia do que brita no asfalto

O representante da Semob que estava no local informou que o material usado é bom e vai resistir por algum tempo até que um serviço definitivo seja feito. Ele disse que para o trabalho está sendo utilizado brita e uma mistura de areia e cimento.

“É um paliativo para segurar até o início do verão quando iremos fazer um serviço definitivo”, explicou.

Compartilhe