Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Na manhã desta quinta-feira, 06, dezenas de servidores do Hospital Estadual de Santana, entre médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, dentre outros, fizeram uma manifestação pacífica para cobrar do poder público melhorias para a unidade.

Com cartazes em exposição, os profissionais denunciaram inúmeros problemas existentes no único hospital estadual do segundo mais populoso município do Amapá.

protesto hospital de santana

Profissionais da saúde mostram descontentamento com situação do hospital. Fotos: Sindsaúde

Cartaz alerta para insegurança

Cartaz alerta para insegurança

As principais reclamações vão desde falta de correlatos, medicamentos até a segurança.

“Hoje nós decidimos manifestar devido a falta do básico. O hospital está uma precariedade. Raio x não funciona, nem ultrassonografia. Não tem sabão pra lavar as mãos. Sem equipamento para aferir pressão arterial. Os trabalhadores resolveram ir para frente do hospital manifestar todos sua indignação”, informou Ismael Cardoso Rodrigues, presidente do Sindsaúde.

protesto hospital de santana 6

Sindicato alerta que falta o básico para atender pacientes

Segurança

Os servidores denunciam a falta de segurança privada no hospital. Em menos de uma semana, dois assaltos foram registrados na porta da unidade. Os bandidos abordaram as vítimas e levaram celulares. Os profissionais cobram atenção para essa questão.

Enfermarias

Nas enfermarias, os servidores denunciam que não há climatização adequada, as centrais de ar estão com defeitos e faltam equipamentos básicos.

Geração de energia

“Existem dois novos geradores de energia elétrica em frente ao Hospital que não estão em uso. O gerador que está em funcionamento é alugado, o que tem gerado despesa ao Estado”, disse uma enfermeira, que não quis se identificar.

UTI Neonatal

Médicos e enfermeiros, denunciam a falta de equipamentos na UTI Neonatal como incubadoras, berços de reanimação, ventiladores mecânicos, monitores cardíacos, medicações como dipirona e paracetamol, antibióticos como penicilina, além de não ter agulha para aplicação de insulina.

Os pacientes também denunciam a situação em que o hospital passa.

“Minha esposa está há três dias sofrendo de dor aqui na maternidade. Ela precisa de ultrassonografia e não tem. Somos do interior e estamos a ver navios”, disse Manoel da Silva, agricultor.

paciente

Manoel da Silva: esposa não consegue ser atendida há três dias

Legislativo

Uma comissão composta por 6 vereadores de Santana esteve no hospital para verificar as reais necessidades da unidade. Os parlamentares constaram as denúncias da população e de funcionários e vão notificar o secretário de Saúde do Amapá para prestar esclarecimentos à Câmara Municipal.

Comissão de vereadores no hospital

Comissão de vereadores no hospital

Compartilhamentos