Compartilhamentos

SELES NAFES

O PT no Amapá vai realizar eleições em seus diretórios espalhados por todo o Estado no próximo domingo, 9. A reorganização da legenda faz parte do trabalho de recuperação da imagem do partido, visando as eleições do ano que vem.

No Amapá, o PT tem mais de 16,8 mil filiados. Desse total, 9 mil estão em Macapá e pouco mais de 6 mil no município de Santana.

Para votar nos candidatos não será necessário que os filiados estejam em dia com suas contribuições. A obrigação vale apenas para quem vai disputar vaga nos diretórios. Em Macapá, a legenda na esfera municipal é comandada por José Valério Tavares.

Dora Nascimento terminou em último lugar na corrida pela prefeitura em 2016

Dora Nascimento terminou em último lugar na corrida pela prefeitura em 2016. Fotos: Arquivo

O PT quer esquecer a eleição de 2016 na capital, quando a candidata do partido, Dora Nascimento, teve pouco mais de 2 mil votos, terminando em último na corrida pela prefeitura de Macapá.

“Com esse massacre da mídia isso já era esperado, mas o PT precisava se posicionar para fazer sua defesa. Sabíamos das dificuldades, mas a candidatura foi importante”, avalia o presidente estadual do partido no Amapá, o ex-deputado estadual Joel Banha.

Oficialmente, o PT está fora do Setentrião, mas permite que algumas lideranças ocupem cargos no governo Waldez. O grupo do ex-prefeito de Santana, Antônio Nogueira, por exemplo, ocupa um considerável espaço.

“Mas depois na eleição de domingo haverá encaminhamentos sobre isso”, avisa o presidente.

Candidaturas 

Em nível nacional, apesar de uma possível candidatura de Lula, o partido admite a existência de apenas duas correntes disputando a cabeça de chapa para a presidência: uma liderada pela senadora Gleicy Hoffman (RS), e a outra é puxada pelo também senador Lindberg Farias (RJ).

Grupo liderado por Antônio Nogueira ocupa espaço no governo Waldez

Grupo liderado por Antônio Nogueira ocupa espaço no governo Waldez

No Amapá, o PT evita falar em nomes, principalmente depois de um processo de verticalização interno que na prática visa impedir a coligação com alguns partidos de direita como DEM e o PSDB.

“O PT aprovou uma resolução que determina que as candidaturas nos estados precisam ser homologadas pela direção nacional, assim não vai coligar com partidos proibidos”, justificou.

A votação no domingo será eletrônica em Macapá e Santana. Na capital, 14 urnas foram montadas na Escola Estadual Santa Inês, na orla de Macapá. Em Santana serão usadas 9 urnas na Escola Barroso Tostes. 

Compartilhamentos