Compartilhamentos

SELES NAFES

Mais de 80 médicos estão sendo processados pela Unimed de Macapá por atraso no pagamento de cotas-parte e das perdas anuais da cooperativa médica. Algumas ações foram encerradas com acordos envolvendo grandes valores, só que mais ações estão sendo protocoladas pela cooperativa.

No total, advogados que acompanham os processos estimam que serão mais de 200 ações de cobrança, no total. As ações estão tramitando em quase todas as varas cíveis de Macapá.  

A Unimed de Macapá, que está em transição para a Unimed Fama (AM), tenta receber mais de R$ 40 milhões de seus associados e ex-associados. A maioria dos valores é referente às perdas ocorridas entre 2008 e 2013, e que precisam ser rateadas entre todos os cooperados.

O portal SELESNAFES.COM teve acesso a um relatório contábil encomendado pela Unimed que aponta alguns prejuízos acumulados. Em 2008, por exemplo, a perda chegou a R$ 4,3 milhões. No ano seguinte, R$ 4,5 milhões.

Em 2010 foram R$ 1,7 milhão. Não há informações sobre 2012, mas em 2013 e 2014 as perdas foram superiores a R$ 16 milhões. Os dados constam nos balanços anuais aprovados pelos cooperados em assembleias entre 2008 e 2015.  

Para movimentar essa enxurrada de ações de cobrança, a cooperativa médica pediu gratuidade de custas, mas o pedido foi negado pela Justiça.

Graças a acordos, a Unimed já começou a receber os valores dos médicos processados, uma ótima notícia para trabalhadores e fornecedores que também tentam receber pagamentos atrasados da cooperativa. Essas pessoas com créditos a receber podem se habilitar nos processos aproveitando a carona da Unimed.

O portal SN tentou contato com o advogado da Unimed, Roberto Armond, mas ele não atendeu ligações e nem retornou mensagem solicitando entrevista.

Compartilhamentos