Compartilhamentos

WASHINGTON PICANÇO, advogado

O Ypiranga Esporte Clube surgiu em 15 de maio de 1963, fruto do idealismo dos jovens integrantes da extinta e saudosa “Juventude Oratoriana” do Trem (JOT), movimento que pertencia à Paróquia de Nossa Senhora da Conceição.

Por influência e preposição do Padre Vitório Galliani, o clube adotou as cores azul e preta, as mesmas da Internacional de Milão, clube de coração do Padre Vitório, na Itália.

A figura da “Torre” foi inspirada na Igreja de Nossa Senhora da Conceição, no Bairro do Trem. É o principal símbolo do Clube, razão porque é chamado pelos desportistas de o “Clube da Torre” e de “Negro Anil”.

É importante que sejam lembrados, relembrados e reverenciados grandes ypiranguistas já falecidos que têm seus nomes indelevelmente registrados na história do clube.

Lembramos inicialmente dos padres Vitório Galliani, patrono do Clube da Torre, e Luiz de David. O Sr. Dário Lima era destacado como grande incentivador e organizador do futebol da garotada integrante da paróquia de Nossa Senhora da Conceição. Lembramos dos saudosos atletas Emanuel (o mais eclético da história do clube), Aragão, Dival e Ary. Tem ainda o João Nascimento de Araújo, no tênis de Mesa; João Simões Nobre, “o careca”, maratonista e atleta de futebol de salão.

 Outro nome merecedor de destaque é o de Valdênio Vanderley, o “Guachelo”, primeiro chefe de torcida organizada do Clube.

Também reverenciamos o nome de Francisco Corrêa, Luiz Azarias e Rosival Souza, o “Bonde”, primeiro técnico da equipe de futebol do Ypiranga e muitos outros que estão guardados na memória de nossa cidade, em especial o zagueirão “Bandeirantes” que fez história e conquistou títulos para essa torcida apaixonada.

Compartilhamentos