Conflito no Sindicato dos Servidores Federais vai parar no MP

A decisão unânime do Conselho do MP apura atos da diretoria da entidade de delapidação do patrimônio do sindicato, como crime na esfera penal de peculato
Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Um grupo de seis sindicalizados ingressou com uma representação no Ministério Público do Amapá (MP-AP) contra a atual diretoria do Sindicato dos Servidores Públicos Federais Civis do Amapá (Sindsep). Segundo o grupo, a atual gestão cometeu fraude eleitoral e não tem realizado prestação de contas.

A representação havia sido arquivada no ano passado pelo Conselho Superior do MP. Mas o grupo recorreu e teve decisão favorável na última semana. O Ministério Público vai investigar o Sindsep por denúncia sobre indício de fraude.

A diretoria da entidade está sendo investigada no Processo Administrativo n. 0003258-24.2015.9.04.0001. Segundo o inquérito, não há prestação de contas por parte da diretoria por quase 10 anos, bem como Assembleia Geral para prestação de contas específica à categoria.

“O atual secretário geral nunca prestou contas anuais à categoria como prevê o estatuto. Queremos saber pra onde está indo nosso dinheiro, especialmente, imposto sindical que é cobrado de todos”, ressaltou o sindicalizado, Jorge Façanha de Miranda, que assina a representação.

Ele é servidor do Ministério da Saúde no Amapá, é sindicalizado na entidade desde 2001. O servidor diz ter provas que demonstram que o processo eleitoral do Sindsep foi fraudulento e os documentos serão apresentados à Justiça.

“Tenho documentos que comprovam isso e serão apresentados na Justiça no tempo certo. Mas a questão principal é a prestação de contas”, frisou.

A atual gestão presta contas de três em três anos no Congresso Nacional dos Sindicatos dos Servidores Federais. Em novembro deste ano, terá o evento e na oportunidade uma nova eleição vai escolher os delegados e membros para a diretoria da entidade no Amapá.

A reportagem do portal SELESNAFES.COM procurou a direção do Sindsep para falar da denúncia. O diretor da entidade, Marcos Nunes, expôs a posição da atual gestão.

“Nós estamos esperando a notificação do MP para verificar a situação. Após isso, vamos chamar a imprensa para os devidos esclarecimentos”, disse o sindicalista.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.