Compartilhamentos

coluna EM OFF, por SELES NAFES

PGE I

O governador Waldez Góes (PDT) autorizou a elaboração dos estudos para a realização de um concurso público para a Procuradoria Geral do Estado (PGE). A intenção é contratar mais 5 procuradores que se juntarão aos 30 que atuam hoje, todos efetivos. O edital deve sair ainda este ano, e prevê cadastro reserva.

PGE II

Um procurador de carreira recebe hoje cerca de R$ 20 mil de salário, por isso a função virou é uma das carreiras mais visadas do meio jurídico e entre acadêmicos de Direito. O único concurso já realizado na PGE foi feito em 2006, durante o primeiro governo Waldez. Os aprovados foram chamados em 2008 e 2009.

Conselho de ética

O presidente do conselho de ética da Assembleia Legislativa, deputado Paulo Lemos (PSOL), espera começar para valer os trabalhos na semana que vem, agora que todos os membros estão empossados. O grupo não esconde que o primeiro processo a ser analisado é o do deputado Moisés Souza (PSC), que cumpre pena em regime domiciliar por desvio/peculato e fraude em licitação.

Meu nome é Enéas

Shalon Braga (azul), está a frente da mobilização. Fotos: Divulgação

Um grupo de amapaenses resolveu ressuscitar o Prona, o antigo partido de Enéas Carneiro. A coleta de assinaturas já foi suficiente para criar o diretório estadual, mas são necessárias 500 mil para permitir a existência de um diretório nacional. O processo está adiantado. Em todo o país já foram recebidas mais de 400 mil assinaturas. O partido desapareceu na fusão com o PL (Partido Liberal) para dar origem ao PR (Partido da República).

Inauguração da sede do Diretório Estadual do Prona

Na semana passada, o Prona do Amapá inaugurou a sede de seu diretório estadual, que funciona na Alameda Primavera, 13, no Bairro Jardim Marco Zero. A eleição para compor o diretório ainda não foi realizada, mas a mobilização tem a frente o empresário Sharon Braga.

O Pai da Zona Norte

Juiz João Bosco foi essencial no fim do impasse entre GEA e PMM sobre o Hospital Metropolitano

O juiz João Bosco Soares, da 2ª Vara Federal do Amapá, ganhou um apelido que ele talvez desconheça, mas que soa como homenagem: “Pai da Zona Norte”. Tudo a ver com o empenho do magistrado em grandes celeumas da região mais populosa de Macapá, como a retomada das obras da Maternidade e do Hospital Metropolitano, sem falar dos conflitos na área institucional da Rodovia Norte/Sul.

Compartilhamentos