Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Evangélicos, umbandistas e católicos estarão lembrando neste sábado (13) os 129 anos do fim da escravidão no Brasil. O evento ecumênico, que visa combater a intolerância religiosa, acontecerá na Fortaleza de São José, no Centro de Macapá, onde haverá demonstração de capoeira, cultos e diversas celebrações que atravessaram gerações e o oceano.

A ideia em se fazer o evento “Rufar dos Tambores na Fortaleza de São José” partiu de dois líderes religiosos, Padre Paulo, titular da igreja Jesus de Nazaré e do Babalorixá Pai Salvino. Além deles, o evento vai contar com a participação de uma pastora evangélica.

Fortaleza de São José é o local do evento ecumênico. Fotos: André Silva

Para a Secretaria Extraordinária de Políticas para os Afrodescendentes (Seafro), o evento traz a oportunidade de trazer ao conhecimento das pessoas um pouco da cultura Africana.

“Nosso papel é promover toda e qualquer forma para diminuir o preconceito, racismo e intolerância. É o segundo ano que a gente consegue abrir um debate com a igreja evangélica, católica e matriz africana. Isso é um avanço”, considerou a secretaria Núbia Sousa.

O evento acontecerá a partir das 16h.

Dia da Abolição

Em 13 de maio de 1888, por pressões internacionais que envolviam países que já haviam abolido o trabalho escravo, a princesa Isabel, regente no Brasil e subordinada do imperador Dom Pedro I, decretou em dois artigos, a libertação dos escravos e o fim da escravatura no país.

Núbia Sousa: diálogo entre religiões é avanço

Nessa época, boa parte dos negros que fugiam da opressão do homem branco e do império formaram quilombos em boa parte do Brasil.

Escravidão

O tráfico de escravos negros no Brasil é datado do século XIV. Homens e mulheres de várias partes da África foram trazidos para o país de maneira forçada. Eles eram usados para trabalhar em engenhos, atividade bastante lucrativa na época, e para trabalhos no campo.

Foto destaque: divulgação

Compartilhamentos