Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

O município de Laranjal do Jari, localizado a 265 quilômetros de Macapá, já está há 56 dias em estado emergência. As constantes chuvas na região fizeram as águas do rio que banha a cidade transbordar. Na última quarta-feira (10) o nível do rio chegou a 2,17 metros e na manhã da sexta (12) a 2,7 metros, segundo a Defesa Civil Municipal.

O prefeito Márcio Serrão (PRB) assinou o decreto do estado de emergência no dia 23 de março, logo após a última enchente que deixou várias famílias desabrigadas. Na última terça-feira (9), a elevação do nível do rio deixou uma família desabrigada. As vítimas foram levadas para abrigos e casas de parentes.

Estado de emergência foi decretado no fim de março. Fotos: Defesa Civil

Segundo a Defesa Civil, cinco bairros estão sendo atingidos pelas águas, o que deixa aproximadamente 4 mil pessoas em situação de risco. Os bairros são os seguintes: Malvina, Santarém, Samaúma, Três Irmãos e Mirilândia.

“Elas insistem em ficar no local. Nós não podemos obrigá-los a sair. O que podemos fazer é manter o alerta para qualquer emergência”, explicou a coordenadora da Defesa Civil de Laranjal, Thayna Patrícia Santos.

As famílias dizem que vão esperar a água baixar. Como da última vez o processo demorou cerca de 20 dias, elas arriscam e dizem que continuarão nas casas.

Enchente tem causado prejuízos para a população

Previsão do Tempo

De acordo com o boletim meteorológico emitido nesta sexta-feira (12) pelo Núcleo de Hidrometeorologia e Energias Renováveis (NHMET), as chuvas só devem cair na região no domingo (14), mas devem atingir o alto da bacia do Rio Jari. Elas podem influenciar no volume do rio que corta a cidade, porém o seu efeito será sentido em um espaço de 15 dias.

“Como a chuva acontece na cabeceira da bacia, esse volume de água leva até quinze dias para dar a resposta na cidade. Pra saber por que está aumentando o volume do rio é só verificar se há quinze dias havia previsão de chuvas para a cabeceira e se sim, é resposta das chuvas que caíram”, explicou  o meteorologista Jeferson Vilhena.

Compartilhamentos