Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

A Secretaria Estadual de Transportes (Setrap) anunciou na tarde desta quarta-feira (03) que um novo projeto e uma nova licitação serão feitos para a conclusão das obras da Rodovia Norte Sul, paralisadas há quase 4 anos. A secretaria informou também que os estudos arqueológicos encabeçados pelo Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa) já foram finalizados.

Por meio da sua assessoria de comunicação, o secretário Jorge Amanajás informou que o novo projeto da rodovia será concluído até julho deste ano e que há um processo de cancelamento do contrato existente. Após esta etapa, um novo certame será aberto para a contratação da empresa que irá tocar a obra.

Novo projeto deve ser concluído até julho, de acordo com a Setrap. Fotos: André Silva

Primeira etapa da rodovia custou R$ 50 milhões

Houve uma tentativa de retomada dos serviços no ano passado, mas, em setembro, o governo do Estado anunciou uma nova paralisação, desta vez, por causa da descoberta de um sítio arqueológico no perímetro da obra.

Segundo a Setrap, os estudos foram concluídos e agora poderá dar continuidade no processo de construção da rodovia que, depois de pronta, ligará a zona norte com a zona oeste de Macapá.

A escuridão da rodovia

A primeira etapa da obra ficou pronta em 2013, meses depois, bandidos levaram toda a fiação elétrica dos postes que ficam às margens dos primeiros quilômetros já prontos. Segundo relatos, a escuridão tem servido de abrigo para pessoas mal intencionadas.

“Essa escuridão só tem servido para uma coisa meu filho: abrigar bandido. Eles ficam  na beira da pista parando quem passa por lá e levam tudo o que podem”, reclamou Benedita Freitas, de 81 anos, moradora do Bairro Ilha Mirim, na zona norte.

Benedita Freitas: escuridão serve para abrigar bandidos

Além dela, outros moradores que moram próximos da entrada da rodovia e do campo de futebol do bairro também reclamam da insegurança que a escuridão traz.

“Muita bandidagem. A escuridão é o abrigo deles. Uma vez ou outra a gente ouve que assaltaram um aí pra dentro. Se eles colocassem pelo menos a luz nos postes já resolveria em muito nosso problema aqui”, denunciou a dona de casa Ivanilra do Socorro, de 43 anos.

Ivanilra do Socorro: falta de iluminação é um problema

As obras na rodovia iniciaram em 2012, inicialmente a um custo de R$ 50 milhões. A primeira parte que está concluída, é resultado de um convênio do governo estadual com o Ministério das Cidades. A última estimativa dava conta de que a fase final da obra custaria mais R$ 19 milhões.

Moradores jogam ligo no local

Compartilhamentos