Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Uma parceria entre voluntários e psicólogos do Centro de Valorização da Vida (CVV) e Ministério Público do Amapá (MP-AP) busca discutir medidas de valorização à vida nas escolas públicas do Estado. O tema é resultado da repercussão do caso da“Baleia Azul”.

Os órgãos definem medidas psicossociais e socioeducativas em âmbito escolar que possam agregar valores para adolescentes e jovens. O tema principal é o questionamento sobre o suicídio entre jovens no país, já que o CVV registrou aumento de ligações após a veiculação de um seriado que também aborda o tema.

“Nós podemos ajudar com a capacitação de profissionais dentro das escolas e também com a disponibilidade de amparo judicial em questões criminais que possam surgir no decorrer do tratamento”, frisou a promotora de Justiça Andréa Guedes.

Parceria entre MP e CVV busca ações de valorização da vida. Foto: MP/divulgação

A ideia é que o projeto ocorra nas escolas da capital, focando não apenas no público-alvo, jovens e crianças, mas também em todo o corpo docente e técnico das instituições, que pode se tornar um grande aliado na prevenção do suicídio.

De início, três escolas pilotos serão escolhidas, para depois expandir o atendimento por todo o Amapá.

 “Com o lançamento da série sobre o assunto, que divulga o número do CVV no final do seu episódio, tivemos um número enorme de acessos ao site e ainda um crescimento significativo de ligações no Brasil inteiro. As pessoas querem ajuda”, disse a voluntária, Celiana Waldeck.

CVV

Atualmente, o CVV conta com 12 voluntários plantonistas, mas o ideal seria 35 para ter um atendimento 24h.

O Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio com atendimento gratuito 24h por dia, garantindo total anonimato para aqueles que buscam por ajuda.

 O número para acessar ao serviço nacionalmente é o 141. Mais informações podem ser obtidas através do site www.cvv.org.br.

Compartilhamentos