Compartilhamentos

SELES NAFES

A Polícia Civil do Amapá prendeu nesta terça-feira (9) um homem acusado de abrir e furtar objetos de valor de carros estacionados em ruas de Macapá e Santana. Ele usava aparelhos que bloqueavam o sinal remoto que trava as portas dos veículos.

Os investigadores estavam atrás do criminoso desde 2015. As vítimas geralmente estacionavam perto de bancos, shoppings e lojas de alto padrão. Ao retornarem, encontravam os veículos abertos e percebiam que objetos de valor haviam sido furtados.

Entre as vítimas mais recentes estão sete agentes de segurança, entre policiais militares, civis e agentes penitenciários. Todos tiveram as armas furtadas, além de outros objetos.

“As pessoas relatavam que tinham certeza que travavam os carros, mas quando voltavam encontravam eles abertos”, comenta o delegado que investiga o caso, Leonardo Brito, da 6ª DP. Veja no vídeo como o golpe funciona.

Os alvos prediletos do criminoso eram clientes de uma loja de perfumes importados no centro comercial de Macapá. Há muitos vídeos que mostram ele e uma cúmplice seguindo clientes logo após as compras.

“Ele via as pessoas saindo com sacolas e seguia elas. Depois parava próximo do alvo e acionava o bloqueador quando a pessoa pensava que estava trancando o carro. Em 20 segundos ele revistava todo o carro, debaixo dos bancos, tudo. E depois vendia o que recolhia”, informa o policial. 

Tabletes, celulares e outros objetos furtados estavam no carro do acusado. Foto: Polícia Civil

Só na 6ª Delegacia de Polícia, no Bairro do Trem, que atende casos de bairros mais centralizados, existem 10 inquéritos. Mas também há ocorrências registradas em delegacias de outros bairros.

No fim da manhã desta segunda-feira, Benivan Araújo Santos, de 35 anos, estava sendo monitorado por uma equipe de agentes. Depois de abrir o carro e levar os pertences que haviam dentro, ele foi seguido pelos policiais e interceptado no Bairro Hospitalidade, em Santana.

Dentro do veículo dele foram encontrados 7 aparelhos chamados de “Chapolins”. Os policiais fizeram um teste com o aparelho e ele conseguiu bloquear novamente o carro da vítima.

Dentro do carro do acusado os policiais ficaram surpresos com a quantidade de objetos furtados. Videogames, computadores, brinquedos, 10 celulares, tabletes, perfumes, relógios, além de R$ 1 mil e dinheiro da Indonésia, provavelmente de algum turista.

“Isso tudo foi furtado só hoje”, revelou o delegado. 

Carro que estava sendo usado pela dupla

Junto com Benivan estava Márcia da Silva Farias, de 41 anos. Segundo a polícia, ela era cúmplice, e em alguns momentos a dupla usava o carro dela.

Na delegacia, o acusado permaneceu em silêncio durante todo o interrogatório. Ele já estava acompanhado de um advogado. A polícia investiga agora se ele comprava os chapolins ou os fabricava. Os aparelhos parecem com controles remotos de garagem.

O portal SELESNAFES.COM não conseguiu imagens do criminoso e sua comparsa.

Compartilhamentos