Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Duas empresas já receberam o aval da Superintendência da Zona Franca de Manaus para começarem a operar no Amapá e receber os incentivos da Zona Franca Verde (ZFV). Uma delas será a fábrica de ração que terá como matéria prima a soja e o milho, grãos que já são produzidos no Estado.

A solenidade que autorizou as duas empresas a operar (a outra é uma fábrica de sorvetes) aconteceu na quinta-feira (11), no Palácio do Setentrião. A legislação que criou a Zona Franca Verde permite fabricação de produtos somente com matéria-prima da região amazônica.

A fábrica quer produzir cerca de 14 mil toneladas do produto por mês, gerando uma receita de mais de R$ 105 milhões por ano. Será ração para animais domésticos, piscicultura e pecuária. A produção para testes inicia ainda neste ano.

Thiago Verçosa: fábrica vai usar matéria prima da região. Testes começam este ano

O proprietário da Fábrica de Ração Verçosa, Thiago Verçosa, conversou com o Portal SELESNAFES.COM e explicou quais serão as novas etapas para a instalação definitiva da fábrica no Distrito Industrial, que poderá gerar mais de 200 empregos diretos.

Qual o próximo passo agora?

Com a aprovação dos benefícios da Suframa, que acabamos de receber, os próximos passos serão iniciar a obra e contratar os equipamentos.

Quanto custará uma máquina como a que o senhor vai comprar?

Em torno de R$ 35 milhões. É um investimento de R$ 75 milhões. Com esse desconto (Suframa e ZFV), eu posso reinvestir em outro maquinário ou posso colocar como desconto no produto final para que o preço chegue mais competitivo para o consumidor final. Tudo que eu tiver de desconto aqui vou repassar para o consumidor final pra ele poder, de repente, iniciar uma criação de animais.

Ração será usada na criação de peixes, pecuária e animais domésticos

Qual a previsão de início de atividades da fábrica?

A partir de novembro, a gente já começa a fazer os testes de ração para que no final de fevereiro ou início de março, já esteja em todas as redes de supermercados e distribuidores do Estado.

Por que você escolheu o Amapá para investir?

Pela posição estratégica. Estamos na metade do caminho entre Europa e Estados Unidos, e com fácil acesso à região Sul e Sudoeste. Isso diminui nosso gasto com frete e facilita a exportação dos produtos.

Governador Waldez Góes assina a autorização de instalação das fábricas em reunião da Suframa

Quais produtos a fábrica vai produzir?

Ração de peixe, porco, frango e ração para cães e gatos.

O senhor já tem uma ideia de quanto a venda desses produtos vai gerar de receita?

Faturamento de R$ 105 milhões por ano, gerando mais ou menos R$ 15 Milhões de impostos para o Estado.

Quantos quilos por mês?

Estamos falando de 14 mil toneladas por mês.

Compartilhamentos