Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Pela primeira vez, o porto de Santana está sendo utilizado como entreposto de combustíveis. O procedimento começou nesta terça-feira (2) com a chegada de um navio de bandeira belga.

O Vendom Street, da Antuérpia (Bélgica), atracou à tarde no píer de Santana, que tem 150 metros de comprimento. Foi necessário montar uma megaoperação conduzida pela Companhia Docas de Santana (CDSA), órgão subordinado à prefeitura da cidade.

De acordo com a PMS, três empresas e 25 profissionais foram contratados diretamente. A principal preocupação era com a segurança da aproximação, atracagem e transferência do combustível.

O navio deve ficar 7 dias em Santana e o transbordo da carga começará no próximo dia 8, depois de vencidas outras etapas burocráticas.

São 24 milhões de litros. Desse total, 7 milhões ficarão em Santana e serão distribuídos em postos de todo o Estado. O restante, 17 milhões de litros, será transportado em balsas para Belém (PA), Manaus (AM) e Porto Velho (RO).

Há muito tempo a prefeitura de Santana vem articulando acordos com grandes grupos empresariais e transportadoras no sentido de oferecer a CDSA como entreposto de produtos como combustíveis e grãos.

Este ano, o atual prefeito, Ofirney Sadala (PHS), esteve no Porto de Itaqui (MA) oferecendo Santana como ponto de transbordo.

Navio transporta 24 milhões de litros de combustíveis

Além de gerar empregos e impostos, o combustível trazido da Bélgica nesta terça, por exemplo, vai chegar mais barato às bombas para o consumidor.

“O nosso projeto é que Santana se torne rota de distribuição, pois a tendência é que o custo do combustível, aos poucos, seja reduzido; porém, para que tudo isso se torne realidade, nós temos que desde já redobrar os cuidados e evitar qualquer tipo de incidente, e tudo está acontecendo como planejamos”, avaliou o diretor operacional da Companhia Docas de Santana, Victor Hugo Holanda.

Compartilhamentos