Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

O segundo acusado de participar do latrocínio de uma técnica de enfermagem em Mazagão, durante o carnaval, se apresentou espontaneamente na manhã desta segunda-feira (8), no Ciosp do Pacoval.

Raimundo Gabriel dos Santos Costa, de 19 anos, apareceu acompanhado do advogado informando que prestaria todos os esclarecimentos sobre o fato. Ele e o primo Anderson dos Santos Tavares, de 19 anos, o “Andinho”, são os principais suspeitos de terem invadido a casa da técnica de enfermagem Eliana Maria Castro, de 62 anos, e subtraído diversos objetos do local.

Vítima foi torturada por bandidos que invadiram sua residência. Foto: arquivo/SELESNAFES.COM

A vítima foi encontrada morta na cozinha de sua residência na manhã seguinte, com as mãos amarradas e com um saco plástico amarrado à cabeça.

Os dois estavam desaparecidos desde o ocorrido. Na quarta-feira passada (3), uma equipe do Núcleo de Operações e Inteligência (NOI) da Polícia Civil conseguiu capturar Andinho, que estava na casa de uma amiga, em Macapá. Ele ainda usava um relógio da vítima.

Versão conflitantes entre os acusados

De acordo com o delegado Alan Moutinho, do NOI da Polícia Civil, os dois presos contaram diferentes versões sobre o crime.

“Isso é muito comum nesses casos, cada um dá uma versão da participação do outro e só fazem trocar os papéis. Nós estamos propensos a acreditar que quem está mentindo menos é o Gabriel. Que realmente o Andinho tenha entrado na casa da vítima”, avaliou o delegado.

Delegado Alan Moutinho: um tem tentando colocar a responsabilidade sobre o outro. Foto: Olho de Boto

O delegado Alan Moutinho se refere a entrada de Andinho na residência pelo fato do rapaz ser uma pessoa de confiança da técnica de enfermagem, que morava só.

“Andinho tentou transferir a maior parte da responsabilidade do latrocínio ao Gabriel. Mas a gente acredita que quem poderia ter planejado ou ter tido a ideia de invadir a casa da vítima pra fazer o roubo teria sido o Andinho, que era de confiança da vítima”, comentou.

O delegado disse ainda que Raimundo Gabriel relatou que quando Andinho o chamou para ir na casa ajudar a levar os objetos, ele já estava com a chave do portão e não precisou pular o muro da casa.

“Ou seja ele teria pego a chave assim que ele rendeu a vítima. Depois teria chamado o Gabriel na rua para ajudar a levar as coisas”, destacou.

Andinho foi capturado na semana passada, em Macapá

Segundo a polícia, Raimundo Gabriel dos Santos Costa ficará preso por crime hediondo em prisão temporário de 30 dias, prorrogável por mais 30. Ele já foi encaminhado para o Instituto de Administração Penitenciária (Iapen).

O NOI ainda não considera o caso encerrado, pois avalia ainda a participação de outras pessoas.

“Não há ainda indícios, mas pela cena do crime, é possível suspeitar que outras pessoas estiveram presentes no local”, finalizou o delegado Alan Moutinho.

Compartilhamentos