Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A sessão da comissão que discute a reforma trabalhista no Senado foi suspensa na tarde desta terça-feira (23), após bate-boca, e o quase confronto físico, entre parlamentares de oposição e do governo. Um dos senadores envolvidos na confusão, Randolfe Rodrigues (REDE), quase foi para as vias de fato com outro senador após ser xingado.

A confusão começou depois que o presidente da comissão, Tasso Jereissati (PSDB-CE), anunciou que colocaria em votação o parecer do relator da proposta mesmo sem a leitura do texto, conforme determina o regimento interno.

A oposição, que já tinha tentado adiar a votação, protestou e reivindicou o respeito ao regimento. Quando o senador Randolfe Rodrigues pediu questão de ordem, passou a ser xingado por senadores que apoiam o presidente Michel Temer. Ele revidou chamando o governo de corrupto, e foi bastante xingado.

Assista um trecho da confusão

O bate-boca foi com o senador Ataydes Oliveira (PSDB). Foi necessária a intervenção de outros senadores. Depois da confusão, o senador amapaense publicou nota afirmando que foi duramente atacado após uma manobra ilegal para aprovar o parecer da reforma.

Nota de esclarecimento

“Não é novidade para o país que a base de apoio do governo Temer tem tentado aprovar com urgência propostas de reformas, trabalhista e previdenciária, que retiram direitos fundamentais dos trabalhadores e aposentados.

No dia de hoje, na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, por meio de uma manobra regimental, sem sequer ter sido publicado o relatório, foram concedidas vistas coletivas para que o projeto possa ser aprovado nos próximos dias.

Não concordei com essa manobra, apresentei Questão de Ordem que evitaria a leitura do relatório no dia de hoje, e fui duramente atacado por quem sustenta um governo notoriamente corrupto.

Isso foi dito, e repito em alto e bom som, como tenho feito dia após dia. Se trata de uma crítica política, subsidiada em indícios claros que se apresentam cotidianamente em todos os noticiários, jornais e, mais importante de tudo, nos autos de inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal.

O governo do senhor Temer é um governo corrupto. Disse isso hoje ao senador Ataydes Oliveira, primeiro suplente do saudoso senador João Ribeiro, e fui xingado gratuitamente por isso.

Talvez por combater diuturnamente os casos de corrupção, ser chamado por alguém de corrupto não faz parte da minha rotina. Me senti profundamente ofendido e reagi prontamente.

Sigo na defesa dos trabalhadores e aposentados. O povo não pode pagar a conta da crise. Fora Temer!” 

Foto de capa: Folha

Compartilhamentos