Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Agentes penitenciários do Amapá vão aperfeiçoar técnicas de contenção de crises em um curso ministrado em parceria com o Batalhão de Operações Especiais da Policia Militar (Bope). As atividades iniciam na próxima segunda-feira (3) com uma aula inaugural que vai acontecer no Museu Sacaca. O curso será oferecido para 80 agentes.

Com o Curso Operacional Penitenciário, a Secretaria de Segurança Pública do Estado visa dar continuidade na preparação de agentes para agirem em momentos de crise, como os que aconteceram em presídios do Brasil este ano. Eles vão atuar na ala masculina denominada de “Cadeião”, do Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

Agente já são treinados para atuar em crises até a chegada do Bope

No curso, eles vão aprender a planejar ações, gerenciar crises, intervenção prisional, patrulhamento motorizado em escoltas, tiro policial e o “método giraldi”.

“Esse método (giraldi) foi desenvolvido pela polícia de São Paulo que consiste em usar a arma para conter o infrator sem prejuízo a vida do mesmo”, explicou Fausto Jardim, comandante do Grupo Tático Prisional (GTP).

Hoje, o GTP do Iapen conta com 40 homens e mulheres preparados para agir no primeiro momento da crise até a chegada do Bope. Para o número de presos, o grupo deveria ter pelo menos 100 agentes.

De 3 à 14 de julho serão as aulas da primeira turma. A segunda turma vai iniciar no dia 17 e vai até o dia 28 do mesmo mês.

Compartilhamentos