Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Policiais da Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) de Macapá prenderam nesta terça-feira (20) um dos integrantes de uma quadrilha especializada em assaltos a residências. A identificação só foi possível porque o bandido esqueceu o próprio celular dentro do carro de uma das vítimas.

“Foi um vacilo fundamental (…). A tela estava travada, mas quando destravamos a primeira foto que apareceu foi do Lívio bem sorridente, aí foi mais fácil pra gente”, comentou o delegado Wellington Ferraz, que investiga dois assaltos.

O delegado se referiu à prisão de Lívio Fernando de Souza Barbosa, de 18 anos, o “Traveco”. Ele teve a prisão preventiva decretada a pedido da Polícia Civil depois que a vítima de um dos assaltos apareceu na delegacia com o celular esquecido em seu carro. O veículo foi usado pelos bandidos para fugir.

Lívio Barbosa, o “Traveco”: 18 anos com grande ficha criminal. Fotos: Olho de Boto

Traveco é investigado por dois assaltos ocorridos no fim de abril nos bairros Novo Horizonte e Infraero, ambos da zona norte. Apesar da pouca idade, o criminoso tem várias passagens por delegacias e chegou a cumprir medida socioeducativa no Cesein, na maioria das vezes por roubo.

Na manhã desta terça, ele estava escondido na casa da namorada na Rua Francisco Xavier das Chagas, no Bairro Jardim Felicidade I. Os policiais cercaram a residência por volta das 9h e apresentaram o mandado de prisão.

A foto no celular foi reconhecida pelas testemunhas de um dos assaltos, mas depois da prisão ele também foi identificado por moradores da outra residência.

Já que Traveco é suspeito de outros assaltos, a Polícia Civil pede que outras vítimas procurem a DCCP para fazer o reconhecimento do criminoso.

Delegado Wellington Ferraz: vacilo fundamental

De acordo com a polícia, em todos os assaltos o bando de Traveco age da mesma forma, e em pelo menos um dos crimes houve a participação de uma mulher. O bando age sempre com violência.

“As vítimas já acordavam apanhando do Lívio (…) Agora estamos trabalhando para identificar todos os integrantes da quadrilha”, ressalta o delegado.

Traveco foi levado para o Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen).

Compartilhamentos