Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

 Quem vai em busca dos serviços de sapateiro ao lado do Mercado Central, no Centro de Macapá, se depara com a cena: latas penduradas no teto de uma oficina, onde também se nota que a decoração do lugar é toda em homenagem ao time de coração do proprietário: o Vasco da Gama.

Pablo Wilian Ferreira dos Santos, de 45 anos, já exerce o oficio há mais de oito anos. Ele conta que sempre foi vascaíno e garante que os objetos exibidos no estabelecimento foram obtidos em apostas contra torcedores do time rival: o Flamengo.

Santos diz também que as apostas começaram como uma brincadeira  e que os amigos flamenguistas são os responsáveis por tantas latas.

Apostas com os amigos são frequentes30. Fotos: André Silva

Wilian Ferreira dos Santos: do restaurante, para a oficina de sapatos

“Mas não pode ser qualquer cerveja. Um amigo policial foi quem me apresentou essa marca. Ele disse: mano, descobri uma cerveja que não deixa a gente de ressaca. Desde aí eu não parei mais de beber ela” recordou.

As apostas começaram a acontecer há mais ou menos dois anos, segundo o sapateiro. Ali onde trabalha é muito difícil de encontrar a marca preferida, por isso ele começou a desafiar os amigos flamenguistas

“A cada vitória do Vasco eu ganho um número de caixinhas de cerveja. Estou para receber mais 18 caixinhas de amigos que perderam a aposta”, brincou.

Comerciante comemora mais 18 caixinhas que deve ganhar de amigos

Wilian entrou no ramo da sapataria depois que negociou o restaurante que tinha dentro do Mercado Central pelo ponto que trabalha hoje. De lá para cá, o ofício tem sido o seu ganha pão.

Pelos cálculos dele, estão penduradas no teto do ponto comercial mais de mil latinhas, além das mais de quinhentas que estão guardadas no depósito da loja.

Mercado Central é ponto conhecido na cidade para conserto de sapatos

Compartilhamentos