Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

A Polícia Militar pôs fim, na noite desta quara-feira (14), a um esquema de comercialização de drogas que funcionava ao lado do Terminal Rodoviário de Macapá, no Bairro São Lázaro, zona norte.

A equipe do 2º Batalhão da Polícia Militar (2º BPM) recebeu, via Ciodes, a denúncia anônima de que os traficantes estariam deitados em redes, próximos da rodoviária e de uma lanchonete operando o negócio com entorpecentes.

Ao chegar no local, por volta das 19h, estavam duas redes Daniel Nogueira de Souza, de 24 anos, e uma menor de 16 anos. A esposa de Daniel, Adriele Queiroz de Paiva, de 22 anos, estava voltando para o local e também foi abordada.

Drogas encontradas com o ajuda do cão Timothy, na casa da menor. Fotos: Olho de Boto

Somente após buscas pela área é que foram encontradas as substâncias, embaixo da lanchonete. Ao ser questionada pelos policiais, a menor confessou que estavam vendendo as drogas e que haviam mais entorpecentes em sua residência, no Bairro Brasil Novo.

De acordo com o sargento Hipólito, do 2º BPM, foi acionado para o kit net indicado pela menor o canil do Batalhão de operações Especiais (Bope) e, com ajuda do cão Timothy, foram encontradas mais substâncias. Ao todo, foram 92 porções de crack e 15 de maconha.

Os policiais constataram que a adolescente mora só e que ela não tem parentesco com o casal, o que indica que pode ter sido recrutada pelo tráfico por ser menor de idade.

“Isso está acontecendo muito, menores sendo chamados pelos traficantes e assumindo a autoria dos crimes”, comentou o sargento Hipólito.

Denúncias anônimas sobre vendas de drogas ao lado do terminal mobilizaram a PM até o local. Foto: André Silva

O tenente Medeiros, do Bope, também falou sobre a tática usada por traficantes para aliciar menores.

“Os infratores tentam de toda forma dissimular o tráfico e achar maneiras de passar despercebido, mas nós nos colocamos sempre um passo a frente e conseguimos dar uma resposta a altura”, disse o policial.

O casal foi encaminhado para o Centro Integrado de Operações (Ciosp) do Pacoval, enquanto que a adolescente foi levada para a Delegacia de Atos Infracionais (Deiai).

Compartilhamentos