Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

A eleição do Sindicato dos Servidores Públicos em Educação no Amapá (Sinsepeap) promete ser acirrada este ano. Ao todo, 7 chapas estão na disputa pelo maior sindicato do Estado. Apesar do número de inscritos, os professores dizem que o pleito deve ser polarizado.

As chapas incluem mais de 60 membros para a formação da Executiva Estadual, Municipal e Conselho Fiscal para o triênio 2017/2020. A votação ocorrerá em 17 escolas de todos os municípios, incluindo o Distrito de São Joaquim do Pacuí.

“Esperamos que as chapas promovam debates de qualidades e boas propostas. Queremos um sindicato mais atuante e que a obra da nossa sede seja concluída”, destacou o professor Antônio Souza.

Comissão Eleitoral acerta detalhes do processo de votação. Fotos: Cássia Lima

Os professores mais experientes dizem que a eleição deve ser polarizada entre duas chapas. Uma é composta por profissionais das centrais sindicais e é contra as reformas e terceirizações. A chapa já possui 13 executivas municipais.

O grupo rival é formado por membros da chamada “resistência”. Além de possuírem 16 executivas municipais, o grupo é formado por membros da diretoria anterior.

As executivas municipais são chapas menores que formam a diretoria dos municípios. Segundo o processo histórico do Sinsepeap, as chapas que têm mais executivas são as que mais têm chance de vencer o pleito devido à mobilização e influência de votos nas bases.

“A gente mensura quem tem chance quando uma chapa consegue montar mais executivas municipais. Ao que tudo indica a eleição vai começar a ferver nessa semana”, explicou o professor Marcos Dias.

Segundo dados da Comissão Eleitoral, existem hoje 14 mil sindicalizados no Sinsepeap entre profissionais federais, estaduais e municipais, mas apenas 30% deles participam em média da votação.

De acordo com o estatuto do sindicato, só poderão votar eleitores com taxa de contribuição sindical em dia pelos últimos 6 meses. A eleição ocorrerá simultaneamente em todos os municípios do Estado no dia 25 de junho, de 8h às 17h. A expectativa é que a eleição ocorra com urnas eletrônicas cedidas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Compartilhamentos