Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Os cadastros para interessados em trabalhar com o aplicativo Uber em Macapá estão suspensos. Foi o que informou nesta terça-feira (6) a gerência do hotel que vem hospedando representantes da empresa no Amapá. A medida está sendo tomada até que seja garantida a segurança dos representantes do aplicativo e do local. O Uber ficou de providenciar dois seguranças. 

O advogado Pablo Nery, do hotel Rio Mar, local onde ocorreu uma manifestação de taxistas na última quinta-feira (1) contra a implantação do Uber em Macapá, entrou com um pedido de liminar na 4ª vara da Fazenda Pública pedindo que o Sindicato dos Taxistas se abstenha de fazer qualquer ato que prejudique o direito de ir e vir dos hóspedes e de funcionários do hotel.

Protesto na semana passada causou transtorno para hóspedes. Foto: Rubson Alves

A liminar foi deferida e resta apenas o sindicato ser intimado e citado para cumprir a determinação do juiz.

O contrato comercial no valor de R$ 7 mil firmado entre o Rio Mar e o aplicativo expira no próximo dia 17, podendo ser prorrogado. O documento garante multa para qualquer uma das partes que decidir rescindi-lo.

Transtornos

Pablo Nery contou que os proprietários não tinham noção que se tratava de uma empresa tão polêmica quanto o Uber, e nem que causaria tantos transtornos.

Hotel onde o Uber estava fazendo inscrições de motoristas interessados em prestar serviços: liminar

Ele informou que no dia da manifestação até hóspedes foram ameaçados pelos taxistas. O hotel se reuniu com o sindicato para tentar um acordo, mas não obteve sucesso.

“Eles foram muito intransigentes e chegaram a pedir que o hotel reincidisse contrato com a Uber, o que seria inviável, porque a gente deixou claro que a relação entre o hotel e o Uber só diz respeito às duas partes”, frisou o advogado.

“Eles deixaram claro que se as reuniões continuassem, iriam impedir a entrada e saída de pessoas do hotel. Entramos com a liminar e pedimos que o juiz determinasse que o sindicato se abstivesse de fazer qualquer ato”, reforçou o advogado.

CTMac

No dia da manifestação, a Companhia de Trânsito de Macapá (Ctmac) deixou claro que já existe uma lei que inibe o serviço de transporte irregular de passageiros, e isso inclui o Uber. A Guarda Municipal também confirmou que irá apreender carros ligados ao aplicativo de transporte de passageiros.

O portal SELESNAFES.COM não conseguiu contato com a representante do aplicativo em Macapá. Ela não foi localizada no hotel. 

Compartilhamentos