Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

O fim de semana começou com uma tragédia no município de Mazagão, a cerca de 40 quilômetros de Macapá. Um menino de 7 anos morreu na hora após ser atropelado por um ônibus.

O atropelamento ocorreu por volta das 9h, na Rua Veiga Cabral, Bairro Bom Jesus. Momentos antes, Marcos Jeová Marques tinha atravessado a pista para deixar uma sacola numa casa vizinha, e, segundo a família, esperava numa faixa amarela o momento certo para terminar a travessia.

Menino teria sido atropelado duas vezes. Fotos: Olho de Boto

Parentes desesperados ao ver o corpo da criança. Foto enviada por morador

O local onde o acidente ocorreu fica bem na entrada da cidade, logo após uma curva. O ônibus trafegava no sentido Santana/Mazagão. Parentes dizem que o veículo estava em alta velocidade.

“Esse ônibus veio do nada. Ele (a vítima) saiu na minha frente com uma sacola (…) e eu não vi carro nenhum vindo. De repente, quando eu vi, ele estava estendido no chão. Ele estava atravessando de volta pra minha casa. (…) Era o amor da minha vida”, disse ainda em desespero da mãe do menino, Francisca Lúcia.

Segundo testemunhas, depois do primeiro impacto o corpo do menino foi novamente atropelado. 

“Deu ré e passou por cima da criança duas vezes”, acrescentou Pedro Paulo, tio do menino.

“Ele matou uma criança de 7 anos que tinha a vida toda pela frente. Daqui a pouco ele (o motorista) vai estar solto. Esses motoristas de ônibus não respeitam, dirigem em alta velocidade. Idoso e criança não têm vez”, desabafou outra tia do garoto.

Criança ia atravessar a pista para voltar para casa (verde)

Local fica na entrada do município de Mazagão

A família também afirma que o motorista falava ao celular quando o acidente ocorreu.

“O motorista vinha no telefone. Meu irmão vinha dentro do ônibus e viu isso. Meu sobrinho estava na faixa amarela esperando o ônibus passar”, comentou Eliana Marques, outra tia da criança.

O portal SELESNAFES.COM não conseguiu a versão do motorista, que permaneceu no lugar após o acidente, mas foi cercado por populares e parentes da vítima. Uma equipe local da Polícia Militar pediu reforços para conter a fúria dos moradores.

O motorista, que não teve o nome divulgado pela PM, foi levado sob uma forte escolta para a delegacia local que ficou cheia de parentes e moradores. Policiais do 4º BPM, BPTran e do Bope deram apoio na ocorrência para evitar agressões.

Reforços de vários batalhões foram mandados para local

Policiais do Bope na delegacia

Parentes aguardam fim do depoimento do motorista

“Tínhamos que impedir que a população fizesse a justiça contra as própria mãos. (…) Ele é um trabalhador, mas o que aconteceu ainda será apurado pela Polícia Civil. (…) Daqui ele será recambiado para outro lugar que não poderemos informar por questão de segurança”, informou o capitão Batista, oficial de Operações da PM.  

Compartilhamentos