Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um homem acusado de assalto, e que estava em fuga, quase matou uma vítima e ainda descarregou a arma numa troca de tiros com policiais militares na terça-feira (7).

O assalto ocorreu em uma lan house na Avenida Timbiras, no Bairro do Muca, na zona sul de Macapá. Dois bandidos entraram armados, renderam clientes e levaram a renda do caixa.

Na fuga, de bicicleta, eles começaram a ser seguidos pelas vítimas que usavam um carro. Um deles, percebendo a aproximação, decidiu reagir.

“O garupa pulou da bicicleta, se virou contra o veículo e atingiu o para-brisa. A bala pegou de raspão no peito de uma das vítimas e ricocheteou na lateral do veículo”, relatou o tenente Érico, do Batalhão de Rádio Patrulhamento Motorizado (BRPM).

Tiro atingiu o para-brisa do carro que seguia os assaltantes. Fotos: Olho de Boto

Sem munição na arma, Luciano “Gordinho” ainda travou luta com os policiais

Com a chegada da PM, o bandido, que depois foi identificado como Luciano Ferreira de Lima, de 18 anos, o “Gordinho”, pulou um muro e tentou se esconder, mais foi avistado pelos policiais que iniciaram uma perseguição por vários quintais. Por fim, o criminoso se refugiou em uma residência.

“Tivemos cautela porque o indivíduo já havia atirado contra as vítimas”, lembrou o tenente Érico. 

Quando os policiais deram voz de prisão na porta da casa, o bandido começou a atirar e houve revide. O tiroteio terminou quando a arma do assaltante ficou descarregada. Nem ele, e nem os policiais ficaram feridos. 

Mas quando as equipes entraram no imóvel o bandido não se entregou. Ele travou luta corporal com os PMs que conseguiram dominá-lo e algemá-lo. 

Tatuagem de “palhaço assassino”

Tenente Érico, do BRPM: cautela

Gordinho estava no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen) por assalto e havia ganhado a liberdade somente há 1 mês. 

Em revista, os policiais ainda encontraram mais munição no bolso da calça dele. No Ciosp, o criminoso tinha dificuldades para falar, mas explicou que a fuga foi atrapalhada porque a corrente da bicicleta caiu, e que não queria ferir ninguém, apesar de ter tirado várias vezes.

“Deu errado (…) eu atirei por alto, não queria acertar ninguém”.

O criminoso foi apresentado no Ciosp do Pacoval e encaminhado para audiência de custódia.

Compartilhamentos