Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O secretário de Segurança Pública do Amapá, Ericláudio Alencar, anunciou na tarde desta sexta-feira (2) a criação de um policiamento específico para dar apoio às unidades hospitalares da capital.

A medida, que já estava acertada, foi antecipada após a tentativa de homicídio dentro do Hospital de Emergência de Macapá na noite da última quinta-feira (1º).

Nesta sexta, Alencar discutiu o assunto com o secretário de Saúde do Estado, Gastão Calandrini; com o comandante geral da PM, Rodolfo Pereira; e a delegada geral de Polícia, Lourdes Souza.

O plano tem várias medidas. A mais urgente é reforçar, imediatamente, o policiamento permanente no HE, Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal), UPA da Zona Norte e Pronto Socorro de Santana.

“É uma determinação do governador deslocar pessoal de onde for necessário para reforçar esse policiamento”, comentou Ericláudio Alencar.

PM no HE após a tentativa de homicídio: Sesa vai identificar fragilidades que permitem invasões

A segunda medida consiste no treinamento de agentes de portaria e vigilantes para restringir ainda mais o acesso de pessoas. A ideia é impedir que um paciente tenha mais do que um acompanhante, ao contrário do que ocorre hoje.

A grande quantidade de pessoas nas enfermarias atrapalha o serviço das equipes de saúde, e provoca até conflitos. Há casos de vias de fato entre acompanhantes e funcionários, furtos de celulares, e até o uso de drogas.

“Em 30 dias, teremos uma viatura específica para fazer a ronda nos hospitais, assim como ocorre no policiamento escolar”, garantiu Ericláudio Alencar.

Também há problemas estruturais que facilitam o acesso ao interior dos hospitais, como muros baixos. Ainda nesse período de 1 mês, a Sesa espera concluir um relatório com todas as fragilidades estruturais das unidades. 

Compartilhamentos