Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Os servidores da Justiça do Amapá paralisaram suas atividades por duas horas na manhã dessa sexta-feira (23), no Fórum de Macapá. A reivindicação é por reposição de perdas salariais que estariam atrasadas desde 2015. Os trabalhadores programam uma greve para agosto.

Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores da Justiça (Sinjap), Jocinildo Moura, em 2015 as perdas salariais foram de 6%, em 2016 de 4,57%. Este ano mais de 5% não foram reajustados em abril.

“Nós queremos que o poder público, por meio do governador que tem a iniciativa de lei, faça uma reposição salarial aos trabalhadores. Já estamos na metade do ano e a negociação não avança”, destacou o presidente.

Jocinildo Moura: perda salarial de 5% em 2017. Fotos: Cássia Lima

A categoria suspenderá as atividades do movimento em julho. No início de agosto haverá uma assembleia geral que discutirá pelo começo da greve. A previsão do sindicato é paralisar em 60% as atividades da Justiça.

Encontro Regional

Para discutir as perdas salariais, a Resolução 219 e a pauta de reivindicações, o Sinjap promoverá no dia 24 de junho o II Encontro Estadual de servidores da Justiça. O evento ocorrerá na sede do sindicato, no Santa Rita, às 9h e contará com a presença do presidente da Fenajud, Luís Fernando. Além dele, o evento terá a representação de estados como o Pará, Tocantins, Rondônia, Amazonas e Roraima.

Servidores prometem greve em agosto, caso negociações não avancem

Compartilhamentos